Governo vai assegurar fornecimento de refeições a 30 mil alunos, revela ministro da Educação

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, afirmou esta terça-feira, durante a terceira sessão regimental, que «as desigualdades sociais já existiam» antes da pandemia do novo coronavírus.

Embora rejeitando que a resposta do Governo no sector tenha sido um fracasso, admitiu que as desigualdades foram «mais evidentes» neste período».

Ainda assim, «seríamos profundamente injustos se não disséssemos que as escolas não foram dedicadas, resistentes, resilientes e criativas», bem como os serviços do Ministério da Educação e tutela, considerou.

Tiago Brandão Rodrigues regozijou-se pelo facto de o sistema educativo não ter fechado um único dia. «Obviamente, sabemos temos de fazer mais (…), mas acreditamos com veemência que um fracasso e um verdadeiro desastre social teria sido fechar escolas, não providenciar refeições aos alunos de acção social, como agora, até ao final de Julho. Mesmo não estando obrigados, vamos providenciar [refeições] a 30 mil alunos um pouco por todo o país», afirmou.

«Teria sido um fracasso se não tivéssemos complementado todo o trabalho à distância e desenvolvido, por exemplo, a programação televisiva (…) que permitiu, em tempo recorde, reforçar as aprendizagens», salientou ainda.

*Notícia actualizada com mais informação às 16:30

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...