Gigantes das telecomunicações querem UE mais aberta a fusões

Vodafone, Telefónica e Orange estão entre as gigantes das telecomunicações a apoiar publicamente a possível nova estratégia da União Europeia para o sector. Numa carta assinada pelos seus CEOs, estas empresas indicam ver com bons olhos o plano para rever a abordagem às políticas de concorrência e a criação de líderes digitais.

Segundo adianta o Financial Times, medidas como estas ajudariam o sector a competir com os rivais tecnológicos do outro lado do Atlântico, nos Estados Unidos da América. Trata-se de um sinal de aprovação das prioridades apontadas por Ursula von der Leyen, a nova presidente da Comissão Europeia, e por Thierry Breton, antigo CEO da France Télécom e actual comissário para os mercados internos.

Concretamente, os signatários da carta esperam, por exemplo, que a União Europeia seja mais aberta à aprovação de fusões. “Isto requer um ambiente regulatório estável e sustentável em casa, mas também regras justas e equilibradas para competir com players globais”, lê-se no documento. Pedem também à Comissão Europeia para que algo seja feito em relação ao mercado europeu das telecomunicações, actualmente fragmentado.

A carta chega em antecipação de uma reunião em Bruxelas entre Margrethe Vestager, comissária para a concorrência, e executivos de operadoras como Deutsche Telekom. Ao contrário de Ursula von der Leyen e Thierry Breton, Margrethe Vestager tem assumido mais o papel de obstáculo do que de facilitadora: segundo a mesma publicação, proibiu fusões na Dinamarca e Reino Unido, o que terá abrandado a consolidação do mercado europeu.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda