Gás em garrafa ficou mais barato. Sabe como se calcula o preço deste combustível?

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, e o Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira assinaram esta quinta-feira um despacho que estabelece um regime excecional e temporário de fixação administrativa de preços de Gás de Petróleo Liquefeito (GPL) engarrafado.

Este despacho institui a fixação de preços máximos para o GPL engarrafado, em taras standard em aço, durante o período de vigência do estado de emergência. “A necessidade desta atuação preventiva surge face ao aumento da margem de comercialização praticada pelos operadores retalhistas, em contraciclo com a evolução dos preços dos derivados nos mercados internacionai”, explicam, em comunicado.

Mas, afinal, como é calculado este preço?

Segundo a ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, o preço de uma garrafa de GPL, ao público, reflete vários custos: importação e refinação; logística e comercialização.

Esta venda está em mercado liberalizado há já vários anos e por isso o preço também varia entre quem o comercializa, sendo que existem, atualmente, cerca de 150 mil postos de revenda em Portugal.

Acrescem ainda as taxas impostas por lei.

Veja aqui como chegar ao valor final:

Recorde-se que desde o dia 16, os preços máximos resultantes da aplicação deste despacho, a vigorar durante o mês de abril, são: 22 euros para a garrafa de 13kg de GPL Butano (tipologia T3) -1,692 €/kg; 22,24 euros para a garrafa de 11kg de GPL Propano (tipologia T3) – 2,022 €/kg; 81,05 euros para a garrafa de 45kg de GPL Propano (tipologia T5) – 1,801 €/kg.

O despacho determina ainda que, no caso de alterações relevantes das cotações internacionais, identificadas pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, poderão ser estabelecidos novos preços regulados a aplicar aos dias remanescentes do mês em curso, através de novo despacho.


Comentários
Loading...