Fez 30 anos? Está na hora de subscrever um PPR

Mesmo que lhe pareça bizarro preocupar-se com a reforma quando ainda mal entrou no mercado de trabalho, não espere pelos 40 anos. Muito menos pelos 50. A razão é simples e a matemática mais básica ajuda a explicar: quanto mais atempadamente começar a poupar, mais vai conseguir amealhar.

Nada como fazer contas e comparar. Considere um cenário de poupança mensal de 50 euros. Veja as diferenças, começando a poupar aos 30 anos ou mais tarde, entre ter o dinheiro parado, aplicá-lo no melhor depósito a prazo do mercado (de longe, a classe de produtos de poupança preferida dos portugueses), ou investir nos planos de poupança-reforma (PPR) que elegemos como Escolha Acertada. Os cálculos têm por base a rentabilidade passada dos produtos.

Poupar para a reforma

Se estiver disposto a aceitar algum risco, escolha um PPR que invista uma parte da carteira em ações, em troca de um rendimento potencial superior (o mais adequado para quem ainda está longe da idade da reforma, aliás). Com a nossa Escolha Acertada de fundos PPR, pode chegar aos 67 anos com um complemento de reforma de quase 124 mil euros. O melhor produto desta categoria rendeu 7,9% ao ano, nos últimos cinco anos (até final de 2019). Considerando este histórico, se começar apenas aos 40 anos, acumula 54 mil euros. Iniciando aos 50, não chega aos 21 mil euros.

Se, com a mesma idade, aplicar os mesmos 50 euros por mês, mas preferir um PPR sem risco (de capital garantido), ideal para quem está a 10 anos ou menos da reforma, com a nossa Escolha Acertada de PPR sob a forma de seguro pode acumular perto de 45 mil euros quando chegar à reforma. O nosso eleito obteve, nos últimos três anos, um rendimento anual de 3,48%, bem acima da rentabilidade média dos seguros PPR conseguida nesse período, que foi de 1,6% ao ano. Em 2019, o seguro PPR recomendado rendeu 3% (brutos).

O seguro PPR recomendado apresenta uma comissão de gestão (1,2 por cento ao ano) que é deduzida mensalmente. Com base na rentabilidade obtida no ano passado, começando a poupança aos 40 anos, conseguiria um complemento de reforma de quase 27 mil euros. Aos 50, acumularia cerca de 14 mil euros. Em qualquer dos cenários, o valor final não engana: ainda que este PPR seja uma Escolha Acertada, não é o mais adequado para uma poupança de muito longo prazo (superior a 10 anos).

O tempo como aliado da rentabilidade

Não investir o dinheiro ou aplicá-lo num depósito a prazo, ainda que eleja o melhor do mercado, não são, como pode ver no esquema em cima, boas opções. Parado, o dinheiro não “cresce”, e fazer poupanças de longo prazo com produtos de curto prazo (a maior parte dos depósitos a prazo são até 12 meses) não é o mais acertado: o rendimento vai ficar muito aquém daquilo que se poderia obter, pensando num universo temporal mais alargado.

Um PPR está totalmente vocacionado para o longo prazo. Usa o tempo como catalisador da poupança. Investindo num PPR, ao fim de algumas décadas, não só terá um bolo maior por ter posto de parte uma determinada quantia de forma regular, como irá beneficiar do efeito de capitalização. Efeito que será tanto maior quanto mais alargado for o tempo de investimento.

Começando cedo poderá também apostar em produtos potencialmente mais rentáveis a longo prazo. Simule e comece a poupar já. O nosso comparador de planos de poupança-reforma apresenta uma nova página para quem não tem PPR e quer começar a poupar. Com base em três dados fornecidos pelo utilizador – idade, quanto tenciona investir por mês e que tipo de produto pretende (seguro PPR ou fundo PPR) –, a nossa calculadora devolve o valor que pode ser acumulado até aos 67 anos, com base nas nossas Escolhas Acertadas.

Por mais abstrato ou irrealista que o número lhe possa parecer, não caia no simplismo de multiplicar a poupança mensal pelo número de anos até à reforma. Esse é apenas o valor do seu investimento. O que vai dar fermento à poupança é o PPR.

Se começar aos 30 anos, tem quase quatro décadas até terminar a vida ativa, pelo que pode optar por um produto com risco e maior potencial de rendimento. A calculadora assume que o ideal para este cenário é a nossa Escolha Acertada de fundos PPR, e as contas são feitas assumindo que o rendimento ao ano, nos últimos cinco anos (7,9%), se mantém no futuro. Não há garantia de que tal venha a acontecer, mas é um indicador da estratégia a seguir, além de que tomamos os rendimentos dos anos anteriores como indicadores de eficiência e de qualidade da gestão. Mas é apenas um se. Neste pressuposto, se entregar 50 euros todos os meses, em 37 anos, os 22 mil euros que investiu crescem para cerca de 124 mil euros.

Para quem já tem PPR: compare e transfira

Se já tem um PPR e quer saber se este apresenta uma rentabilidade interessante, o comparador de planos poupança-reforma também o pode ajudar. A ferramenta permite comparar o rendimento dos últimos três anos dos quase 700 PPR existentes no mercado, sob a forma de fundo e seguro. Indique o seu nome, e-mail e contacto telefónico. Em poucos segundos, irá receber, no seu e-mail, uma mensagem de confirmação do endereço eletrónico, para que possa concluir o registo e avançar para a simulação.

Confirmado o e-mail, selecione o seu PPR da lista de produtos disponíveis no simulador e aguarde pelo veredicto. Em menos de um minuto irá receber também no seu e-mail a nossa análise.

Com o resultado da simulação, fica a conhecer o rendimento do seu PPR e o das melhores propostas de fundos PPR e seguros PPR, e também se deve ou não transferir. Esta comparação é feita com base no rendimento anualizado dos últimos três anos. Não se espante se o PPR que detém atualmente apresentar uma rentabilidade igual ou superior às nossas propostas. Ao lado dos resultados apresentados na página Ganhe mais no PPR irá encontrar um quadro explicativo sobre como interpretar esta informação. Vai encontrar também um botão de alerta, que recomendamos que ative, para ser avisado, por sms, sempre que as nossas recomendações forem atualizadas.

Para transferir o seu PPR, basta clicar em “Saiba como transferir” (opção também possível no e-mail que recebeu com o resultado da simulação). A partir deste momento, é redirecionado para o site da entidade gestora do fundo ou do seguro PPR que elegeu, que o irá ajudar a finalizar o processo de transferência.

Cabe-lhe a si, naturalmente, a decisão avançar ou não, mas lembre-se: tratando-se de uma poupança de longo prazo, pequenas diferenças de rendimento repetidas ao longo de vários anos ou décadas podem representar milhares de euros perdidos.

 

Ler Mais

Comentários
Loading...