Feiras da Ladra, Relógio e Galinheiras estão de volta, mas com regras

Dois meses depois, as feiras da Ladra, Relógio e Galinheiras vão retomar o seu funcionamento, com um conjunto de novas regras e medidas de segurança para feirantes e clientes, determinou a Câmara Municipal de Lisboa, na sequência da resolução do Conselho de Ministros.

O regresso implica o uso de máscara, distanciamento social e etiqueta respiratória. «Estão previstos procedimentos de prevenção do risco de contágio por Covid-19, medidas essas que constam de um plano de contingência municipal aplicado às feiras e que é enquadrado por normas emanadas pela Direção Geral da Saúde», segundo um comunicado da Câmara Municipal de Lisboa.

Nas feiras onde são comercializados produtos frescos, «deverão ser os comerciantes a manuseá-los». Ainda nesta fase, só será permitido o acesso a feirantes permanentes. Não serão autorizados autorizados feirantes ocasionais e está prevista a deslocalização de alguns comerciantes para garantir o distanciamento.

No caso da Feira das Galinheiras, o número de entradas será controlado, «uma vez que esta feira se realiza num recinto fisicamente delimitado».

Por outro lado, serão ainda colocados painéis informativos com recomendações de segurança, haverá reforço da higienização e limpeza das feiras e mais fiscalização para garantir o cumprimento das regras.

Portugal regista já 1.289 óbitos associados à Covid-19 em 30.200 casos confirmados de infecção, segundo o último boletim diário da Direção-Geral da Saúde.

O país entrou no dia 3 de Maio em situação de calamidade devido à pandemia de Covid-19, depois de três períodos consecutivos em estado de emergência desde 19 de Março. Esta nova fase prevê o confinamento obrigatório para pessoas doentes e em vigilância activa, o dever geral de recolhimento domiciliário e o uso obrigatório de máscaras ou viseiras em transportes públicos, serviços de atendimento ao público, escolas e estabelecimentos comerciais.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias “France-Presse”, a pandemia de Covid-19 já provocou quase 330 mil mortos e infectou mais de 5,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,9 milhões de doentes foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler Mais
pub

Artigos relacionados
Comentários
Loading...