EUA consideraram banir a Huawei mas o plano não foi avante

Há alguns meses, quando a Huawei entrou em conflito com os Estados Unidos da América, esteve em cima da mesa também a possibilidade de banir a empresa do sistema financeiro do país. Fontes citadas pela Reuters indicam que a administração de Donald Trump considerou a hipótese como meio para abalar a gigante chinesa.

O plano acabou por não ir avante mas uma das fontes da agência noticiosa indica que ainda é possível reavivar esta possibilidade, dependendo de como as negociações com a Huawei correrem nos próximos meses. Em termos práticos, a ideia é colocar a Huawei na “Specially Designated Nationals and Blocked Persons List” (SDN), uma espécie de lista negra do Departamento do Tesouro.

As empresas que entram para esta lista encontram dificuldades acrescidas em fazer negócio nos Estados Unidos da América, tornando-se praticamente impossível a realização de transacções com recurso a dólares. Além disso, quaisquer bens detidos no país são congelados.

Esta é considerada a medida sancionatória mais agressiva disponível. Porém, a Casa Branca acabou por aplicar outras medidas mais leves: os fornecedores que quisessem trabalhar com a Huawei teriam de obter uma licença especial, por exemplo, o que também abrandava a operação.

A Reuters sublinha que a Huawei teria sido uma das maiores empresas a integrar a SDN, que já contou com a russa Rusal (a segunda maior empresa de alumínio do mundo), políticos iranianos e traficantes de droga venezuelanos, entre outros.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda