Estudo Ambiental de centro tecnológico “Fuse Valley” em Matosinhos em consulta pública

O Estudo de Impacte Ambiental do centro de inovação tecnológica “Fuse Valley”, que ficará instalado em Matosinhos, está em consulta pública até dia 14 de janeiro, segundo informação da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento do Norte (CCDR-N).

O documento está disponível para consulta desde 03 de dezembro e por um período de 30 dias úteis na CCDR-N, na Agência Portuguesa do Ambiente (APA), na Câmara Municipal de Matosinhos e na internet.

“A Declaração de Impacte Ambiental deverá ser exarada até ao dia 25 de fevereiro de 2022”, lê-se no edital da consulta pública.

Em causa está a construção do centro de inovação tecnológica “Fuse Valley”, em Leça do Balio, Matosinhos, no distrito do Porto, com 140 mil metros quadrados, dos quais 60 mil serão ocupados pela Farfetch (plataforma de moda de luxo), adiantou a autarquia de Matosinhos, na sua página oficial.

Ainda segundo esta, o restante espaço ficará sob o domínio do Castro Group (empresa de promoção imobiliária) e será ocupado por edifícios de escritórios e serviços, um hotel com 75 quatros, 42 apartamentos, um anfiteatro ao ar livre, entre outras valências.

A primeira fase do projeto deverá arrancar dentro de um ano, estando a sua conclusão prevista para o último trimestre de 2025, sublinhou.

O Estudo de Impacte Ambiental concluiu que a implementação de um projeto com estas características constitui uma “mais-valia inegável” para o concelho e para a região “não só pela sua qualidade arquitetónica, mas também pelo potencial de desenvolvimento que representa”.

Além disso, o estudo sublinhou que será criado um espaço único voltado para a tecnologia e inovação, onde se concentrará o “principal centro operacional de uma das mais inovadoras empresas tecnológicas nacional, que acolherá a sede da Fundação José Neves, focada no desenvolvimento da sociedade de conhecimento e onde há o potencial para instalação de outras empresas que se revejam nesta perspetiva de inovação, sustentabilidade e bem-estar”.

Das análises efetuadas, os impactos positivos do projeto ultrapassam “em muito” os negativos, determinou.

O licenciamento ou a autorização do projeto, da responsabilidade da Câmara Municipal de Matosinhos, só poderá ser concedido após Declaração de Impacte Ambiental Favorável ou Condicionalmente Favorável, emitida pelo presidente da CCDR-Norte ou decorrido o prazo para a sua emissão.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.