«Estou a tentar dar a volta. Idiotas». Lion Air quis experimentar 737 Max, mas Boeing recusou

A Lion Air, companhia aérea indonésia quis testar o modelo 737 Max, avião fabricado pela Boeing, antes dos dois acidentes que vitimaram 346 pessoas na Indonésia e Etiópia, em Março e Outubro de 2018 e 2019, respectivamente, mas a Boeing rejeitou o pedido, avança a “Bloomberg”.

Numa troca de mensagens privadas, divulgadas pela Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês), um funcionário da Boeing ter-se-à referido aos responsáveis da transportada aérea como «idiotas». «A maldita Lion Air pode precisar de um simulador para pilotar o MAX. Talvez por causa da sua estupidez. Estou a tentar dar a volta.»

O modelo, recorde-se, está impedido de levantar voo desde Março de 2019, depois de ter protagonizado dois desastres aéreos no espaço de cinco meses. O primeiro, da Lion Air, provocou 189 mortos.

Esta notícia surge depois de terem sido divulgados mensagens internas que mostram dois pilotos a queixarem-se de falhas nos simuladores do aparelho em causa. O modelo, referem, foi «projectado por palhaços» e «supervisionado por palhaços». 

Recentemente, foi descoberta uma nova falha no sistema do Boeing 737 Max que poderá atrasar o regresso da aeronave aos céus. De acordo com dados preliminares, o sistema de estabilização foi responsável por empurrar os aviões em direcção ao chão. Nos testes de simulação, pilotos do governo descobriram uma falha no microprocessador. 
pub

Comentários
Loading...