«Estou a tentar dar a volta. Idiotas». Lion Air quis experimentar 737 Max, mas Boeing recusou

A Lion Air, companhia aérea indonésia quis testar o modelo 737 Max, avião fabricado pela Boeing, antes dos dois acidentes que vitimaram 346 pessoas na Indonésia e Etiópia, em Março e Outubro de 2018 e 2019, respectivamente, mas a Boeing rejeitou o pedido, avança a “Bloomberg”.

Numa troca de mensagens privadas, divulgadas pela Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês), um funcionário da Boeing ter-se-à referido aos responsáveis da transportada aérea como «idiotas». «A maldita Lion Air pode precisar de um simulador para pilotar o MAX. Talvez por causa da sua estupidez. Estou a tentar dar a volta.»

O modelo, recorde-se, está impedido de levantar voo desde Março de 2019, depois de ter protagonizado dois desastres aéreos no espaço de cinco meses. O primeiro, da Lion Air, provocou 189 mortos.

Esta notícia surge depois de terem sido divulgados mensagens internas que mostram dois pilotos a queixarem-se de falhas nos simuladores do aparelho em causa. O modelo, referem, foi «projectado por palhaços» e «supervisionado por palhaços». 

Recentemente, foi descoberta uma nova falha no sistema do Boeing 737 Max que poderá atrasar o regresso da aeronave aos céus. De acordo com dados preliminares, o sistema de estabilização foi responsável por empurrar os aviões em direcção ao chão. Nos testes de simulação, pilotos do governo descobriram uma falha no microprocessador. 
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
O segredo para um anúncio de sucesso com 6 segundos é…
Automonitor
Hyundai Kauai bate recorde do GUINESS… na Índia