Estes são os 25 municípios em que é mais caro comprar casa

Comprar casa está cada vez mais caro, mas há zonas mais dispendiosas que outras. Lisboa continua, sem surpresas, a ser o município do país onde será preciso abrir mais os “cordões à bolsa”. Segundo um estudo realizado pelo idealista, o marketplace imobiliário de Portugal, os proprietários pedem na capital, em média, cerca de 4.516 euros por metro quadrado (m2). Mas há uma particularidade neste ranking: é que 11 dos 25 municípios mais caros estão localizados no Algarve.

O Top 5 dos municípios mais caros – Lisboa tem a medalha de ouro – fica completo com Cascais (3.286 por m2), Grândola (3.188 por m2), Oeiras (2.948 por m2) e Porto (2.718 por m2). O sexto e sétimo lugares têm “assinatura” algarvia, onde encontramos as cidades de Lagos e Loulé – o m2 custa 2.620 euros e 2.509 euros, respetivamente. Abaixo dos 2.500 euros por m2 estão os municípios algarvios de Lagoa (2.341 euros por m2) e Albufeira (2.137 euros por m2).

A partir da 10ª posição do ranking os preços são inferiores aos 2.000 por m2: Loures é o município que mais se aproxima desse valor, com o preço por m2 a rondar os 1.993 euros. No 11º lugar situa-se Tavira (1.970 por m2), seguida por Odivelas (1.960 por m2), Matosinhos (1.922 por m2), Amadora e Portimão (1.882 por m2 em ambos os municípios), Óbidos (1.862 por m2), Faro (1.841 por m2), Funchal (1.805 por m2) e Silves (1.789 m2).

As últimas posições da tabela são ocupadas pelos municípios de Vila Real de Santo António (1.775 por m2), Nazaré (1.682 por m2), Castro Marim (1.678 por m2), Almada e Olhão (1.675 por m2 em ambos os casos). O 25º município mais caro é Alcochete (1.671 por m2).

Grândola é o 2º município mais caro por distrito

O estudo fica completo com os municípios mais caros de cada um dos distritos e ilhas. Além dos municípios mais caros já referidos – Lisboa ocupa o primeiro lugar e Grândola a segunda posição -, destacam-se os mais caros de cada distrito com um preço por m2 inferior a 2.000 euros. São eles Óbidos (1.862 euros por m2), Espinho (1.525 por m2), Coimbra (1.365 por m2), Odemira (1.233 por m2), Porto Santo (1.222 por m2), Évora (1.206 por m2), Esposende (1.140 por m2), Caminha (1.082 por m2) e Portalegre (1.004 por m2).

Abaixo dos 1.000 euros por m2 encontram-se Ponta Delgada (944 por m2), Benavente (926 por m2), Vila Real (878 por m2), Viseu (865 por m2), Guarda (761 por m2) e Mirandela (755 por m2). Os municípios da Covilhã (706 por m2) e Horta (704 por m2) aparecem nas últimas posições.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Ao género o que é do género ou ao género sem generalidades?
Automonitor
Quer comprar uma trotinete elétrica? A DECO dá uma ajuda…