Este é o dinheiro que deve ter de lado de acordo com a sua idade

São vários os métodos de poupança existentes, que podem variar conforme os objetivos, rendibilidade, prazos, risco, entre outros, sendo esta uma decisão que deve ser tomada numa base realista e de acordo com as despesas existentes.

A ‘Fórmula de Greene’, criada pela analista financeira Kimmie Greene, permite determinar qual o montante que um trabalhador deveria ter economizado de acordo com a sua idade, num método não se concentra em números, mas sim em proporções.

Nesse sentido, esta fórmula não apresenta uma quantia exata, mas que percentagem do salário bruto anual é considerada correta para poupar assim que um período específico da vida é alcançado.

A poupança é progressiva, dado que, com o passar dos anos, o trabalhador terá maior probabilidade de ocupar uma posição mais bem remunerada e estar menos exposto a riscos e outras eventualidades.

Assim, a ‘Fórmula Greene’ estabelece que o melhor cenário para avançar com o plano de poupança é ter 25% do salário bruto anual disponível aos 20 anos com o emprego naquela época.

Contudo, devido às complicações inerentes ao mercado de trabalho, especialmente nas faixas etárias mais jovens, pode ser um ponto de partida difícil de alcançar.

O primeiro grande desafio dessa fórmula é o marco que deve ser alcançado aos 30 anos: conseguir uma poupança de 100% do nosso salário anual bruto nessa idade.

A partir desse momento, seguindo a fórmula, o trabalhador terá de economizar o seu salário bruto anual a cada cinco anos, a uma taxa de 20% desse salário bruto anual.

Cumprindo essa meta, conseguirá ter o dobro do salário anual bruto poupado, aos 40 deverá ter o triplo do salário anual bruto, aos 45, o quádruplo, aos 50 anos cinco vezes, aos 55 anos seis vezes, aos 60 anos, sete vezes e finalmente aos 65 anos, ter um valor igual a oito vezes o seu salário bruto anual economizado.

Apesar de serem estes os prazos previstos para esta fórmula, Kimmie Greene apoia a flexibilidade, não sendo necessário ter estritamente 20% do salário bruto nem alcançar todas as metas dentro do prazo.

Greene enumera alguns “sacrifícios” a fazer para quem quiser seguir a fórmula, como mudar de residência para uma cidade mais barata, reduzir as despesas com viagens e outras formas de lazer ou mesmo o adiamento da maternidade por alguns anos.

 

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.