Este é o aspeto do Facebook na Austrália depois de a rede social ter bloqueado todos os conteúdos noticiosos

Na quarta-feira, o Facebook proibiu os utilizadores australianos de ver, partilhar e interagir com conteúdos noticiosos na rede social. A mudança abrupta, como explicou a gigante tecnológica, foi uma forma de responder a uma proposta de lei recentemente apresentada na Austrália, que obriga o Facebook a pagar pelos excertos/links das notícias que agrega na plataforma.

“A lei proposta compreende fundamentalmente mal a relação entre a nossa plataforma e as editoras [de notícias] que a utilizam para partilhar conteúdos noticiosos. Deixou-nos perante uma escolha difícil: tentar cumprir uma lei que ignora as realidades desta relação, ou deixar de permitir conteúdos noticiosos nos nossos serviços na Austrália. Com um coração pesado, estamos a escolher esta última”, disse o Facebook num comunicado.

É uma mudança radical para os utilizadores do Facebook na Austrália e também para os utilizadores de todo o mundo que tentam ver ou publicar notícias de publicações australianas. A página do Facebook para o jornal mais lido na Austrália, The Herald Sun, está completamente vazia de conteúdo.

Da mesma forma, se um utilizador do Facebook na Austrália tentar ver qualquer organização noticiosa de outra parte do mundo, o conteúdo é bloqueado.

Uma jornalista da BBC News destacou um exemplo da sua própria publicação. “Os australianos não podem ver nenhuma notícia no Facebook esta manhã, depois de a empresa ter proibido os utilizadores locais de colocar links para artigos. Tanto os canais locais como internacionais estão bloqueados. Por exemplo, é assim que a BBC se parece na Austrália”, escreveu no Twitter.

Além disso, quer se esteja na Austrália ou em qualquer outra parte do mundo, o Facebook está a bloquear todos os utilizadores de partilhar ou interagir com o conteúdo de notícias de publicações australianas.

Se aprovada, a legislação exigiria que gigantes tecnológicas como o Facebook e o Google pagassem aos editores de notícias pelo seu conteúdo.

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, disse esta quinta-feira que as “ações do Facebook para não ser amigo” do país foram “tão arrogantes quanto dececionantes”.

Além de bloquearem páginas de notícias, os utilizadores australianos do Facebook começaram a descobrir uma variedade de páginas do Facebook que não eram de conteúdos noticiosos e que foram bloqueadas na mesma, desde páginas de serviços de saúde essenciais a bancos alimentares.

Ler Mais

Comentários
Loading...