Está na altura de abrandar e ser mais feliz

Um estudo realizado pela Universidade Católica Portuguesa para o Esporão revela que quem abranda tende a ser mais feliz e que metade da população gostaria de reduzir a velocidade do seu estilo de vida. De acordo com os dados recolhidos, a adopção de um estilo de vida Slow tem um efeito positivo e estaticamente significativo nos níveis de stress, equilíbrio de vida, tempo livre e capacidade de concentração.

O estudo indica ainda que 31.8% dos inquiridos tem quase a certeza de ter visto ou ouvido falar do conceito Slow – a maioria deles através da internet – e que 40,8% já o implementa frequentemente no seu dia-a-dia. No mesmo sentido, a maioria dos que raramente ou nunca abranda deseja ter um estilo de vida Slow.

Carl Honoré, jornalista e orador especialista no tema, explica que abrandar não é, obrigatoriamente, fazer devagar: significa fazer tudo na velocidade correcta, seja rápido ou lento, desde que seja o ritmo que melhor funciona. «Devagar significa estar presente, vivendo cada momento plenamente, colocando qualidade antes da quantidade em tudo o que fazemos», explica o também escritor e radialista.

O mesmo estudo aponta que são os jovens entre os 25 e os 34 anos os que mais dificuldades têm em adoptar um estilo de vida mais calmo, embora 47,9% dos inquiridos tenha manifestado que, nos últimos cinco anos, alterou o seu estilo de vida.

O estudo foi realizado online e contou com a participação de cerca de mil adultos ente os 18 e os 76 anos, dos vários distritos de Portugal.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
WPP vende 60% da Kantar
Automonitor
Ensaio: Mercedes-AMG A 35 4MATIC – Genes desportivos