pub

Enfermeiros marcam cinco dias de greve

Em plena pandemia está à vista uma greve geral dos enfermeiros por cinco dias. O protesto é convocado pelo Sindicato Democrático de Enfermeiros de Portugal (Sindepor), que anuncia esta sexta-feira as datas da paralisação.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Sindepor, Carlos Ramalho, disse ter a certeza de que a população estará ao lado dos enfermeiros, que “têm feito muitos sacrifícios ao longo dos anos”

“Os utentes que já recorreram ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) sabem bem os sacrifícios que os enfermeiros portugueses sempre fizeram e continuam a fazer. Com a pandemia descontrolada, também serão os primeiros ao compreender como é que os enfermeiros se sentirão”, afirmou.

Carlos Ramalho disse que os enfermeiros estão “numa situação muito crítica”: “Estamos a falar de um processo longo, de muitos anos, em que os problemas dos enfermeiros não foram resolvidos”.

“Por muito que o Governo anuncie que contratou mais enfermeiros, esses contratos são altamente precários. A situação é cada vez mais precária e não pode continuar a assim”, afirmou o responsável, sublinhando que Portugal é um dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) com menor número de enfermeiros por 1.000 habitantes.

“Numa fase destas [pandemia de covid-19] a sobrecarga é tal que os enfermeiros já não conseguem aguentar mais”, acrescentou.

Portugal contabiliza pelo menos 2.245 mortos associados à Covid-19 em 109.541 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

[Notícia atualizada às 08h30 com declarações do sindicato à Lusa]

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...