Empresas de crédito especializado concederam 5,5 mil milhões em novos empréstimos em 2020

As empresas de crédito especializado concederam 5,5 mil milhões de euros em novos empréstimos no ano passado, uma diminuição de cerca de 14,1%, em relação ao ano anterior, segundo informação enviada esta quarta-feira pela Associação de Instituições de Crédito Especializado (ASFAC) à comunicação social.

“Este resultado está repartido entre cerca de 2,9 mil milhões de crédito a particulares e 2,6 mil milhões de crédito revolving (cartões de crédito e linhas de crédito)”, explica a ASFAC na mesma nota.

66,1% do total dos 3.088 milhões de euros concedidos no crédito clássico (caraterizado por ter um plano de amortização e prazo fixos) foram para meios de transporte – como automóveis e motos-, uma diminuição de 20,5% em relação ao período homólogo, em linha com a redução das vendas de automóveis ligeiros novos.

De acordo com a ASFAC, os veículos ligeiros de passageiros usados apresentam a maior fatia deste valor, tendo sido concedidos 1.492 milhões de euros, cerca de 73,1% da repartição do crédito clássico, por tipo de meio de transporte.

Além dos meios de transporte, o crédito clássico inclui, entre outras, as rubricas lar, equipamento e crédito pessoal.

“Tal como na maioria dos setores, o crédito ao consumo também sentiu o impacto da pandemia de Covid-19. A queda na concessão de crédito é generalizada em todas as economias e em todas as categorias, pois não só se verificou uma estagnação quase total em vários negócios, como o cliente se deparou com uma situação de incerteza quanto ao futuro. Da mesma forma, as instituições fizeram uma revisão das suas políticas de concessão de crédito neste período, com especial atenção às pessoas ou áreas mais afetadas. No entanto, temos já vindo a registar um aumento nos níveis de confiança e dinamismo no que toca ao crédito ao consumo. Compete-nos a nós, instituições de crédito ao consumo, dinamizar o setor, aconselhar o cliente, oferecer as melhores soluções e contribuir para a recuperação económica da economia portuguesa. Este apoio irá verificar-se também na capacidade de impulsionar a economia, as vendas de bens e serviços, assim como a concessão de crédito responsável”, explicou Duarte Gomes Pereira, Presidente da Direção da ASFAC.

A nível europeu, em 2020, o setor do crédito ao consumidor registou uma desaceleração em devido à pandemia.

Segundo o Estudo Anual Eurofinas 2020 (Federação Europeia de Instituições de Crédito Especializado), as instituições de crédito ao consumidor na Europa, representadas através da Eurofinas, concederam créditos no valor de 400,6 mil milhões de euros, em 2020, um decréscimo de 13,1% face a 2019.

Ler Mais


Comentários
Loading...