EDP no Alqueva, Endesa no Alto Rabagão, e Portugal com o preço de energia mais baixo do mundo. Conheça os resultados do leilão

Foram ontem atribuídos 183 megawatts (MW) no leilão para a instalação e exploração de centrais fotovoltaicas em sete barragens de norte e sul do país. Para o Governo este foi um sucesso e fez com que o preço da energia atingisse o preço mais baixo da energia mundial, com ganhos para os consumidores de 7,6 milhões de euros anuais.

“O leilão solar flutuante revelou-se um sucesso, com Portugal a bater um novo recorde ao registar o mais baixo preço da energia mundial”, disse o Ministério do Ambiente e da Ação Climática em comunicado.

 

EDP adquire direitos para o “maior projeto solar flutuante do mundo”

João Galamba chamou-lhe o “maior projeto solar flutuante do mundo”, e agora a EDP obteve o direito de ligação à rede de eletricidade para uma capacidade de 70 MVA (MegavoltAmpere) no Alqueva.

Este direito de ligação, que foi obtido através da subsidiária EDP Renováveis, S.A., tem um contrato por diferenças (CfD) de 4€/MWh por um período de 15 anos, e a EDP espera que a capacidade de ligação permita “instalar até 154 MW de energias renováveis, incluindo 70 MW de solar PV flutuante sujeitos ao CfD acima referido e, adicionalmente, 14 MW de sobreequipamento solar e hibridização de 70 MW de capacidade eólica, ambos excluídos do CfD”, exlicou a empresa em comunicado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários.

Este projeto tem data de entrada em operação prevista para 2025.

 

Endesa conquista Alto Rabagão

A Endesa ganhou o direito de ligação dos 42 megawatt (MW) na barragem do Alto Rabagão, Montalegre. O direito foi obtido através da subsidiária Endesa Generación Portugal e representa um investimento de 115 milhões de euros.

Este projeto tem data de entrada em operação prevista para 2026.

 

Finerge vence lotes de Paradela, Salamonde e Tabuaço

Já a Finerge venceu três lotes no leilão do solar flutuante, que correspondem às albufeiras de Paradela (13 megawatts -MW), Salamonde (8 MW) e Vilar-Tabuaço (17 MW).

“Esta é a primeira vez que a Finerge garante algum lote num leilão de solar, na terceira participação que faz. Esta conquista reflete a nossa aposta na área do desenvolvimento e inovação, para a qual criámos um departamento autónomo em 2020, focado na inovação e tecnologia, nomeadamente na área de armazenamento e solar flutuante”, disse o presidente executivo da Finerge, Pedro Norton, em comunicado.

 

Voltalia agarra barragem do Cabril

A energética francesa Voltalia venceu o leilão da albufeira da barragem do Cabril, no concelho de Montalegre, com uma capacidade de 33 MVA.

“O lote fechou com um preço de referência acima de 41 euros por megawatt hora (resultante numa tarifa de venda de 41,03 euros MWh)”, explicou fonte oficial da Voltalia, de acordo com o ‘Jornal Económico’.

 

Castelo de Bode ficou por adjudicar

No leilão para a instalação e exploração das centrais fotovoltaicas ficou por adjudicar o lote em Castelo de Bode, que tem uma capacidade de receção de 50 MW. O Ministério do Ambiente e da Ação Climática explicou que este lote teve um único licitante, sendo que o concorrente tem cinco dias úteis para fazer uma oferta melhorada.

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.