easyJet compra direitos de aterragem e descolagem da Thomas Cook

A companhia aérea easyJet fechou um acordo com a falida Thomas Cook para a compra de todas as faixas horárias para descolar e aterrar (slots) do antigo operador turístico nos aeroportos de Gatwick (o segundo aeroporto inglês com mais tráfego aéreo) e Bristol, no Reino Unido, por 36 milhões de libras (47,7 milhões de euros), segundo a “Reuters”.

Com este acordo, a easyJet poderá aumentar a capacidade operativa na pista e aumentar a quota de mercado. Em Gatwick, a transportadora britânica passa a contar com mais 12 slots no Verão e oito no Inverno, aos quais se somam mais seis no Verão e outro par adicional em Bristol. 

As faixas horárias da Thomas Cook eram um dos seus activos mais valiosos – sobretudo em aeroportos com capacidade limitada – e atraíram propostas de várias companhias aéreas rivais, incluindo a IAG, proprietária da British Airways, avança o jornal inglês “Financial Times”.

Recentemente, a Fosun adquiriu a marca Thomas Cook e toda a propriedade intelectual do operador turístico, que entrou em colapso em Setembro, por 11 milhões de libras (cerca de 12,7 milhões de euros). O negócio da Fosun Turismo, dona do Club Med e do Cirque do Soleil, inclui as marcas de hotelaria Casa Cook e Cook’s Club,

No mês passado, a Hays Travel comprou por seis milhões de libras (cerca de 6,9 milhões de euros) um total de 555 lojas da empresa, que empregavam 2500 trabalhadores.

Recorde-se que, o operador turístico britânico Thomas Cook entrou em falência a 24 de Setembro, depois de não ter conseguido encontrar fundos necessários para garantir a sua sobrevivência. Em Portugal, os «estragos» superam os 20 milhões de euros.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Marcas vão gastar até 15 mil milhões em Marketing de Influência
Automonitor
Como saber se o carro tem o conta-quilómetros martelado?