easyJet compra direitos de aterragem e descolagem da Thomas Cook

A companhia aérea easyJet fechou um acordo com a falida Thomas Cook para a compra de todas as faixas horárias para descolar e aterrar (slots) do antigo operador turístico nos aeroportos de Gatwick (o segundo aeroporto inglês com mais tráfego aéreo) e Bristol, no Reino Unido, por 36 milhões de libras (47,7 milhões de euros), segundo a “Reuters”.

Com este acordo, a easyJet poderá aumentar a capacidade operativa na pista e aumentar a quota de mercado. Em Gatwick, a transportadora britânica passa a contar com mais 12 slots no Verão e oito no Inverno, aos quais se somam mais seis no Verão e outro par adicional em Bristol. 

As faixas horárias da Thomas Cook eram um dos seus activos mais valiosos – sobretudo em aeroportos com capacidade limitada – e atraíram propostas de várias companhias aéreas rivais, incluindo a IAG, proprietária da British Airways, avança o jornal inglês “Financial Times”.

Recentemente, a Fosun adquiriu a marca Thomas Cook e toda a propriedade intelectual do operador turístico, que entrou em colapso em Setembro, por 11 milhões de libras (cerca de 12,7 milhões de euros). O negócio da Fosun Turismo, dona do Club Med e do Cirque do Soleil, inclui as marcas de hotelaria Casa Cook e Cook’s Club,

No mês passado, a Hays Travel comprou por seis milhões de libras (cerca de 6,9 milhões de euros) um total de 555 lojas da empresa, que empregavam 2500 trabalhadores.

Recorde-se que, o operador turístico britânico Thomas Cook entrou em falência a 24 de Setembro, depois de não ter conseguido encontrar fundos necessários para garantir a sua sobrevivência. Em Portugal, os «estragos» superam os 20 milhões de euros.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Nescafé Dolce Gusto abre casa pop-up só para amantes de café
Automonitor
SEAT Mii electric quase a chegar