Donald Trump rejeita participar na primeira audiência sobre o impeachment

A Casa Branca anunciou que não vai participar na primeira audição do processo de destituição do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na Comissão de Justiça do Congresso, agendada para esta quarta-feira.

Numa carta de cinco páginas transmitida, no domingo, ao presidente da comissão, Jerry Nadler, o processo é descrito como «infundado» e «tendencioso», de acordo com o “Politico”. «Não se pode legitimamente esperar que participemos numa audição quando os nomes das testemunhas não foram divulgados, ao mesmo tempo que se mantém a dúvida de que a comissão judicial possa garantir ao Presidente um processo justo», escreveu o advogado da Casa Branca, Pat Cipollone.

Na passada terça-feira, 26 de Novembro, a comissão convidou o Presidente norte-americano para a primeira sessão de depoimentos, no âmbito da nova fase do inquérito com vista à destituição de Trump. A comissão deu até às 18 horas (mais cinco em Portugal Continental) de 1 de Dezembro para Trump responder.

A audição vai decorrer, em simultâneo com a apresentação, pela comissão das Informações, do relatório com as provas das relações de Donald Trump com a Ucrânia.

Em causa está um telefonema, em Julho passado, entre Trump e o Presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenskii, a quem o republicano terá pedido ajuda para prejudicar Joe Biden, que foi vice-presidente na Administração de Obama e é um dos favoritos à nomeação democrata para as presidenciais de 2020. Esta conversa deu início a um processo de impugnação de Donald Trump, anunciado a 24 de Setembro pela presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi.

Caso o Congresso aprove a destituição, a fase seguinte é um julgamento no Senado, onde os republicanos detêm a maioria. Mas o «impeachment» só resultará na saída de Trump do cargo se for votado favoravelmente por dois terços dos senadores que, até ao momento, têm mantido apoio ao Presidente norte-americano.

Recorde-se que esta é a quarta vez em 230 anos que o Congresso chega perto de acusar e julgar um Presidente dos Estados Unidos. Até agora, só três presidentes americanos haviam sido alvo de impeachment: Andrew Johnson em 1868, por ter destituído o secretário da Guerra à revelia do Senado; Richard Nixon em 1974, por espionagem; e Bill Clinton em 1999, por ter mentido sobre a relação sexual com uma estagiária da Casa Branca, Monica Lewinsky. Johnson e Clinton acabaram ilibados e Nixon demitiu-se antes mesmo do início do processo.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda