DiCaprio responde a acusações de Bolsonaro sobre queimadas na Amazónia

O actor e activista norte-americano Leonardo DiCaprio, também responsável por uma organização ambiental, respondeu às declarações do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que o acusou de ser um dos responsáveis pelas queimadas na Amazónia. «Embora elas mereçam apoio, nós não financiamos» as organizações postas em causa. «O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de fazer parte dos grupos que os protegem», escreveu na sua conta oficial de Instagram.

As acusações do chefe de Estado brasileiro surgiram depois da detenção, na semana passada, de quatro ambientalistas em Alter do Chão, região da floresta amazónica no Brasil, acusados de provocar incêndios para lucrarem com eles, mas, por ordem judicial, os ambientalistas foram libertados no dia seguinte. A investigação é da Polícia Civil do Pará, que deteve quatro voluntários da ONG Brigada de Incêndio de Alter do Chão e apreendeu documentos da ONG Projeto Saúde e Alegria.

«Agora, o Leonardo DiCaprio já é boa pessoa, não é? A dar dinheiro para atear fogo na Amazónia», afirmou Bolsonaro sobre o actor, à saída do Palácio do Alvorada, quando questionado sobre os incêndios na floresta.

Também Eduardo Bolsonaro, filho do presidente brasileiro e deputado federal pelo estado de São Paulo, disse na passada quinta-feira que DiCaprio tinha financiado uma organização não-governamental que tinha ateado fogo na floresta, escreve a “Folha de S. Paulo”.

Em Agosto passado, DiCaprio anunciou que iria doar cinco milhões de dólares (cerca de 4,50 milhões de euros) para organizações ambientais e indígenas brasileiras através da fundação Earth Alliance, criada por si e pelos filantropos Laurene Powell Jobs e Brian Seth, na sequência dos incêndios que devastaram a Amazónia.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda