Das bases militares às pirâmides ocultas: as imagens mais enigmáticas do Google Earth

Já todos “viajámos” com o Google Maps, assim como explorámos ruas com a funcionalidade Street View e vimos a Terra de uma nova perspectiva com o Google Earth. Este último mostra imagens obtidas de vários satélites e, por isso, disponibiliza muita informação que tem vindo a servir de argumento a vários entusiastas de arqueologia, empenhados em resolver alguns dos grandes enigmas da Humanidade.

Nazca, Cazaquistão

Uma expedição arqueológica conjunta das Universidades de Kostanay (Cazaquistão) e de Vilnius (Lituânia) descobriu uma variedade de geóglifos com o Google Earth em Nazca. Com um alcance de 90 a 400 metros, têm várias formas geométricas e alguns deles são mais longos do que um porta-aviões.

Pirâmides ocultas?

Em 2012, uma “arqueóloga de satélite” encontrou dois possíveis complexos de pirâmides, no Egipto, até então desconhecidos. Tal descoberta deu origem a um debate intenso na comunidade científica. James Harrell, professor de geologia arqueológica na Universidade de Ohio, explica que “estas colinas formam-se quando uma área de sedimentos inclui uma camada difícil de erodir. No entanto, as zonas circundantes são alvo de erosão e por isso formam estas colinas”.

Pentagrama na Ásia Central

Ainda no Cazaquistão, na área de Upper Tobol, através de imagens aéreas é possível ver uma estrela pentagonal com cerca de 400 metros, símbolo associado ao satanismo e magia oculta. Mas uma arqueóloga da Universidade de Karaganda (Cazaquistão), Emma Usmaonova, tem uma explicação bem mais mundana: “é o contorno de um parque”.

Desaparecimento resolvido

Até há bem pouco tempo o paradeiro de William Moldt, um homem de 40 anos da Flórida, era desconhecido e o caso continuava por resolver. Até que uma pessoa da mesma área de residência utilizou o Google Earth para visualizar o bairro e descobriu o que parecia ser um carro afundado num lago. Esta descoberta permitiu à polícia encontrar o corpo do desaparecido e resolver o caso 22 anos depois.

Mísseis da Guerra Fria

A base aérea de defesa de Oahu, no Havai, albergava dezenas de mísseis supersónicos terra-ar (alguns com ogivas nucleares), prontos a serem lançados entre 1954 e 1970. Com a chegada dos mísseis intercontinentais, as armas supersónicas tornaram-se obsoletas, assim como algumas bases militares norte-americanas. Teriam caído no esquecimento se David Tewksbury, especialista em informações geográficas da Universidade de Hamilton, não tivesse sugerido a criação de uma base de dados com estas informações para o Google Earth.

Respiração do deserto

Ainda que os famosos círculos gigantes nos campos de milho despertem teorias sobre a presença extraterrestre, esta espiral. de grandes dimensões no deserto egípcio, é uma instalação em 10 hectares constituída por 89 cones salientes que aumentam de tamanho, de forma gradual. Foi concebida por Danae Stratou, Alexandra Stratou e Stella Konstantinidis, em 1997, e como está sujeita a erosão acabará por se dissolver na areia.

Publicidade a marcas

Por vezes, as estratégias de publicidade vão mais longe. E um exemplo de que as marcas apostam em grande é o logótipo gigante da Coca-Cola, de 40 por 120 metros, numa encosta do Chile. Também no Nevada, a cadeia de comida KFC fez uso desta estratégia ao colocar o Coronel Sanders (símbolo da cadeia) ao lado de uma autoestrada.

É uma casa? Ou um avião?

Porque é que um avião está no meio de uma floresta no Oregon? E por que razão, o Google o sinaliza como uma casa? A resposta é simples: Bruce Campbell, um engenheiro de 67 anos comprou um Boeing 727 fora de circulação e transformou-o numa casa.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...