«Criança aflita na água raramente faz barulho». DGS deixa orientações para prevenir afogamentos

A Direcção Geral da Saúde (DGS), publicou esta terça-feira, na sua página de Facebook, um conjunto de orientações para que seja possível prevenir o afogamento, sobretudo o infantil, uma vez que as crianças inspiram uma maior vigilância e controlo.

🔺Tome atenção ao mar⛵🏖🔺Nunca deixe uma criança sozinha quando ela estiverpróxima de água.🔺A criança aflita na água…

Publicado por Direção-Geral da Saúde em Terça-feira, 11 de agosto de 2020

Desta forma, a DGS aconselha a que «tome sempre atenção ao mar» e «nunca deixe uma criança sozinha, quando ela estiver próxima da água», pode ler-se na publicação divulgada na manhã desta terça-feira.

O organismo de saúde pública alerta ainda para o facto de que «a criança aflita na água raramente faz barulho e o seu afogamento é feito em silêncio», pelo que é necessário estar constantemente atento para prevenir um eventual acidente.

Por último, fica o conselho: «Previna os afogamentos, nunca perca de vista as crianças», sobretudo numa altura de férias de verão, mais propícia a este tipo de situações. «Vigiar deverá ser uma preocupação especial dos cuidadores de crianças», conclui a DGS.

Estas orientações surgem também em resposta aos últimos dados da Federação Portuguesa de Nadadores Salvadores (FEPONS), através do Observatório do Afogamento, que registou cerca de 86 mortes por afogamento em Portugal, no primeiro semestre de 2020.

Os números correspondem a um aumento de 45,5% face aos dados anteriores. A faixa etária da maioria das vítimas é de mais de 40 anos, sobretudo indivíduos do sexo masculino. Ainda assim registam-se duas mortes de crianças com menos de quatro anos.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...