Credit Suisse perde 4 mil milhões com implosão do Archegos

Há cerca de uma semana, o nome Archegos começou a invadir as notícias a propósito do colapso do fundo de capital que arrastou consigo as ações de gigantes como ViacomCBS ou Discovery. Agora, é a vez de conhecer o impacto que as dívidas do Archegos Capital Management provocou junto dos bancos que lhe emprestaram dinheiro.

No caso do Credit Suisse, a Reuters avança que o impacto poderá ascender a 4,4 mil milhões de francos suíços, ou seja, cerca de quatro mil milhões de euros. O banco, que em breve contará com o português António Horta Osório no papel de chairman, anuncia que será este o valor da amortização necessária para prevenir efeitos mais devastadores na sequência da implosão do Archegos.

A mesma agência noticiosa indica que o Credit Suisse planeia suspender a compra de ações próprias e, ainda, reduzir os dividendos atribuídos a acionistas. A estratégia do banco suíço envolve também o despedimento de dois executivos: a Chief Risk and Compliance Officer Lara Warner e o responsável de Investment Banking Brian Chin.

«A perda significativa do nosso negócio de Prime Services relacionada com a queda de um fundo de investimento norte-americano é inaceitável», afirma Thomas Gottstein, CEO do Credit Suisse. «Lições sérias serão aprendidas», garante o responsável em comunicado.

O Credit Suisse adianta ainda que prevê perder mais de 800 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, sendo esta uma das consequências da sua ligação ao Archegos.


Artigos relacionados
Comentários
Loading...