Covid-19: Pfizer já pediu autorização à UE para vacinação de jovens entre os 12 e os 15 anos

A Pfizer e a BioNTech já enviaram um pedido ao regulador de medicamentos da União Europeia (UE), a Agência Europeia do Medicamento (EMA), para alargar a aprovação da sua vacina contra o coronavírus a jovens entre os 12 e os 15 anos, avança a ‘Associated Press’.

Em comunicado esta sexta-feira, as duas empresas disseram que o seu pedido à EMA teve por base um estudo avançado em mais de dois mil adolescentes, que mostrou que a vacina é segura e eficaz nesta faixa etária. Os jovens vão continuar a ser monitorizados para proteção e segurança a longo prazo, durante mais dois anos, acrescentaram.

Se o pedido for aceite, as populações mais jovens e em menor risco na Europa, podem ter acesso às vacinas pela primeira vez.

A BioNTech e a Pfizer já tinham solicitado anteriormente à Food and Drug Administration (regulador dos Estados Unidos) que a administração da sua vacina fosse também alargada a jovens entre os 12 e os 15 anos.

Já ontem o presidente da BioNtech, Ugur Sahin, referiu que estava a preparar o pedido à EMA sublinhando: “É muito importante permitir às crianças que regressem às suas vidas escolares normais e permitir-lhes que se encontrem com a família e os amigos“, disse em declarações à revista alemã Der Spiegel.

Depois de alargar a vacinação à faixa etária dos 12 aos 15 anos, o próximo passo da Pfizer é incluir crianças ainda mais novas no plano de vacinação. “Em julho, deverão estar disponíveis os primeiros resultados para crianças entre os cinco e os 12 anos de idade“, disse o responsável à mesma publicação, adiantando que em setembro poderão chegar os resultados para crianças abaixo dos cinco anos.

A vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Pfizer, em parceria com a BioNTech foi a primeira a receber luz verde da EMA em dezembro, altura em que foi aprovada para qualquer pessoa com 16 anos ou mais nos 27 países da UE.

Ler Mais


Artigos relacionados
Comentários
Loading...