Covid-19: Brasil torna-se um dos principais focos do vírus no mundo. Especialistas prevêem 100 mil mortes nos próximos meses

Mais de 100 mil brasileiros provavelmente vão morrer devido à Covid-19, de acordo com especialistas e profissionais de saúde pública, que alertaram para o facto de que a pobreza generalizada e a desigualdade social do país, contribuem para um aumento substancial de casos e vítimas mortais, avança o ‘Financial Times’ (FT).

«Não há dúvidas de que o epicentro desta pandemia está a mudar-se para o Brasil, onde a o vírus vai afectar uma população já muito, muito precária», disse Alexandre Kalache, antigo funcionário da OMS e presidente do Centro Internacional de Longevidade, citado pelo FT.

«Se continuarmos com esta curva, vamos atingir as 120 mil mortes. Podemos alcançar o total dos EUA nas próximas semanas», acrescentou.

Actualmente, mais de 20 mil brasileiros morreram com a doença e o país continua a relatar um número crescente de mortes, cerca de 900 por dia. Com mais de 310 mil infecções, espera-se que o maior país da América Latina ultrapasse a Rússia (actualmente com mais de 326 mil casos) e registe o segundo maior número de casos globais do mundo nos próximos dias.

«O Brasil está com problemas, sem dúvida», disse Donald Trump a jornalistas na terça-feira, acrescentando que estava a considerar proibir voos do Brasil para os EUA.

O aumento de casos e mortes pela Covid-19 no Brasil continua, apesar do esforço que tem sido feito durante meses, por parte dos governadores para evitar o vírus, encerrando as suas economias e espaços públicos.

«Mesmo com todos os esforços feitos até agora, incluindo a ampliação da disponibilidade de camas hospitalares, será insuficiente para o grau de evolução que estamos a registar actualmente», disse Bruno Covas, presidente de São Paulo, que alertou para o facto de que ao ritmo actual, o serviço de saúde da cidade vai entrar em colapso dentro de duas semanas.

A situação levou Covas a considerar o alargamento de um bloqueio de dois meses para um bloqueio total, onde os cidadãos seriam proibidos de sair de casa.

«Em comparação com outros locais, é difícil entender por que motivo há tanta transmissão de doenças, dadas as medidas de distanciamento social. Isto é uma coisa importante a descobrir», disse  ao FT Christopher Murray, director do ‘Institute for Health Metrics and Evaluation’, sediado nos EUA.

Um estudo realizado este mês no instituto projectou que quase 90 mil brasileiros morreriam no início de Agosto, devido à Covid-19. Este número, no entanto, pode aumentar para mais de 193 mil, dependendo das condições locais, mostrou o mesmo estudo.

Esses números não parecem corresponder à realidade, uma vez que já existem informações de mortes nas favelas , cidades rurais e comunidades das florestas tropicais do país.

«Existe uma enorme subnotificação da doença. Não temos ideia de quais são efectivamente os números reais», disse Kalache, acrescentando que a pobreza e as más condições de vida significam que mesmo os jovens encontram-se vulneráveis ​​à doença no Brasil. «Falar em isolamento social nas favelas é ridículo. As pessoas estão a viver umas em cima das outras», revelou.

Apesar do alerta sobre a magnitude da crise do coronavírus no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro, desvaloriza regularmente a gravidade da doença, incentivando os brasileiros a voltar às ruas e ao trabalho.

Bolsonaro disse várias vezes que 70% da população brasileira seria infectada com o novo coronavírus e «não há como fugir disso».

Ler Mais
pub

Artigos relacionados
Comentários
Loading...