Covid-19: AstraZeneca vai entregar menos de metade das vacinas previstas para o segundo trimestre

A AstraZeneca vai falhar o acordo com a União Europeia. A farmacêutica prevê entregar menos da metade das vacinas que foram contratualizadas para o segundo trimestre, disse um funcionário da UE à Reuters esta terça-feira.

A quebra esperada, que não foi relatada anteriormente, ocorre após uma grande redução na oferta no primeiro trimestre e pode afetar a capacidade da UE de cumprir a sua meta de vacinar 70% dos adultos até ao verão.

O funcionário da UE, que está diretamente envolvido em negociações com a farmacêutica anglo-sueca, disse que a empresa adiantou durante reuniões internas que “entregaria menos de 90 milhões de doses no segundo trimestre”.

O contrato da AstraZeneca com a UE, que foi divulgado na semana passada, mostra que a empresa se comprometeu a entregar 180 milhões de doses aos 27 países do bloco europeu no segundo trimestre.

“Como estamos a trabalhar afincadamente para aumentar a nossa produção na cadeia de fornecimento da União Europeia, e a fazer tudo para aproveitar a nossa cadeia de distribuição global, temos esperança de que conseguiremos trazer as nossas entregas para um valor mais próximo do acordo de compra”, disse um porta-voz da AstraZeneca, recusando-se a comentar números concretos.

O funcionário da UE, que falou à Reuters sob condição de anonimato, confirmou que a AstraZeneca pretende entregar cerca de 40 milhões de doses no primeiro trimestre, novamente menos da metade dos 90 milhões de doses que deveria fornecer.

Ao todo, o fornecimento total da AstraZeneca à UE pode chegar a cerca de 130 milhões de doses até ao final de junho, bem abaixo dos 300 milhões que se comprometeu a entregar.

Recorde-se que a UE também enfrentou atrasos nas entregas das vacinas desenvolvidas pela Pfizer e BioNTech, bem como da Moderna. Até agora, são as únicas vacinas aprovadas pelo regulador de medicamentos da UE.

Ler Mais

Comentários
Loading...