Comissão da Carteira condena ameaças e atos de violência contra jornalistas

A Comissão da Carteira Profissional dos Jornalistas (CCPJ) condenou as “ameaças contra jornalistas” e os danos causados em, pelo menos, uma viatura de serviço, no âmbito da cobertura da campanha eleitoral de um candidato às eleições presidenciais”, considerando “que são acontecimentos gravíssimos e uma ameaça séria ao cumprimento da missão do jornalista, especialmente neste período de campanha eleitoral, fundamental para a democracia”.

Em comunicado, a CCPJ revela que está a tentar “identificar os responsáveis pelos insultos, ameaças e tentativas de agressão dos profissionais que faziam a cobertura noticiosa do jantar comício, em Braga, do candidato André Ventura, no passado domingo, dia 17”.

A Comissão relembra que já a 25 de novembro emitiu um comunicado “a propósito dos insultos, ameaças e tentativas de agressão a equipas de jornalistas do Observador e da TVI, que faziam a cobertura noticiosa da manifestação convocada pelo movimento do setor da restauração denominado ‘A Pão e Água’ no dia 14 de novembro”.

Ao mesmo tempo, a CCPJ rejeita que a exigência feita ao jornalismo de cumprir o papel de pilar fundamental do Estado de Direito e do funcionamento democrático de uma sociedade contenha “violência verbal e muito menos ameaças de violência física, como aconteceu naquela situação”.

A Comissão deixa um apelo aos cidadãos para que respeitem o trabalho dos jornalistas e não alinhem em “tentativas de deturpação, desinformação e manipulação”, apelando ainda “às autoridades policiais para fazerem respeitar a existência de condições dignas de trabalho para os jornalistas e às autoridades judiciais para que cumpram o estabelecido na lei, abrindo imediatamente processos de investigação aos responsáveis pelas agressões a jornalistas, já que este é um crime público”.


Comentários
Loading...