Colvin angaria investimento e reforça aposta em Portugal

Estabelecer parcerias com produtores locais e aumentar a equipa de gestão em Portugal são dois dos eixos em que a Colvin irá investir após ter conquistado seis milhões de euros numa ronda de financiamento Series A. Liderada pela venture capital italiana P101, a ronda contou também com a participação da portuguesa Busy Angels, que já contava com uma participação na startup espanhola dedicada à venda online de ramos de flores.

«Reforçámos o nosso investimento na Colvin porque acreditamos no modelo de negócio, na marca que estão a construir e, acima de tudo, na equipa. São três empreendedores à frente de uma startup disruptiva que teve um crescimento incrível num curto espaço de tempo e que quer revolucionar um mercado tradicionalmente offline e estagnado há muitos anos», explica Francisco Ferreira Pinto, administrador executivo da Busy Angels.

Em Portugal desde Abril deste ano, a Colvin permite encomendar bouquets com apenas alguns cliques. Promete entregas em menos de 24 horas, caso o pedido seja feito até às 17h, e disponibiliza opções que vão desde compra única a subscrições de vários meses.

Presente em Espanha, Itália e Portugal, a startup quer aproveitar o montante angariado também para alargar a sua operação a outros mercados, tal como explica o CEO Andrés Cester: «Queremos tornar a Colvin a marca de flores líder por toda a Europa, contribuindo ao nível da inovação e da tecnologia, e estamos no bom caminho.»

A ronda de financiamento contou também com outros investidores, resultando numa nova estrutura da Colvin. A partir de agora, além dos sócios iniciais, encontram-se Javier Etxebeste, ex-CEO da Yahoo, e Hugo Arévalo, fundador da Tuent.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Artigos de pele portugueses inspiram campanha
Automonitor
Renault apostada na eletrificação em 2020