Cisco abandona negócios na Rússia. Ritmo de saída das empresas ocidentais acelera

A Cisco anunciou que irá abandonar totalmente os seus negócios na Rússia e na Bielorrúsia. A fabricante de equipamentos de telecomunicações soma-se assim a diversas empresas que tomaram a decisão de abandonar este mercado, e o número tem vindo a aumentar.

A gigante norte-americana interrompeu as operações comerciais, incluindo vendas e serviços, no passado mês de março, e agora admitiu à ‘Reuters’ que vai interromper totalmente todas as operações.

A Cisco junta-se hoje à Nike que também anunciou, após também ter suspendido temporariamente as operações, que iria abandonar definitivamente este mercado pois, apesar de significar pouco nas receitas globais do grupo, serve como movimento simbólico.

Desde o início da invasão da Ucrânia pela Rússia que mais de 1.200 empresas anunciaram que iriam abandonar o mercado russo, fechar lojas e parar com as suas atividades no país. No entanto há empresas que decidiram continuar neste mercado.

A Universidade Yale, uma instituição de ensino superior privada americana, identificou várias dezenas de empresas com exposição particularmente significativa aos mercados russos. Decidiram elaborar uma lista com as empresas que abandonaram e que permanecem a sua atividade na Rússia, lista essa atualizada diariamente por Jeffrey Sonnenfeld e sua equipa de pesquisa no Yale Chief Executive Leadership Institute.

Aquando do lançamento desta lista, na semana de 28 de fevereiro, apenas várias dezenas de empresas haviam anunciado sua saída. Desde ai foram centenas as empresas que tomaram a sua posição nesta guerra ao abandonar ou reduzir as suas operações na Rússia.

Pode saber quais as empresas que ainda mantêm as suas operações no país aqui.

Excerto da lista de empresas que ainda permanecem com operações na Rússia
Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.