Cinco formas como a tecnologia em cloud revoluciona organizações sem fins lucrativos em todo o mundo

As organizações sem fins lucrativos, desde instituições de caridade a organizações não governamentais, enfrentam um mundo em rápida mudança e têm, por isso, aproveitado o apoio da transformação digital e da cloud.

Este é um setor em que a poupança, a eficiência operacional e os novos modelos híbridos são vitais para garantir que os fundos e os serviços chegam aos mais necessitados. Como tal, para além dos benefícios imediatos nos custos, escalabilidade e segurança, a cloud oferece às organizações sem fins lucrativos uma infraestrutura para o futuro, flexível e resiliente. Também ajuda a pavimentar o caminho para modelos operacionais híbridos, nos quais uma organização combina uma forte presença digital com os seus serviços presenciais.

O setor privado tem liderado a transformação digital, adaptando-se constantemente às mudanças de comportamento e necessidades dos consumidores. Apesar das organizações sem fins lucrativos não fazerem concorrência direta aos privados, lutam pelo tempo e atenção do mesmo público e potenciais doadores. Assim, o potencial da cloud para revolucionar a forma como as instituições pensam e agem não deve ser subestimado. Convém não esquecer que há pelo menos dez milhões de organizações sem fins lucrativos e ONGs em todo o mundo, empregando dezenas de milhares de colaboradores, que têm um impacto na vida de muitos milhões de pessoas.

A adoção da cloud pode significar melhorias na angariação e gasto de fundos, na gestão de recursos, e na interação com cada vez mais utentes. Com menos custos operacionais, mais tempo e dinheiro podem ser investidos em áreas de necessidade imediata.

Aqui estão cinco formas como a tecnologia de cloud está a revolucionar organizações sem fins lucrativos em todo o mundo:

1. Poupanças financeiras

De acordo com a Comissão Europeia, a adoção de soluções em cloud pode levar a uma redução de 20% a 50% nos custos totais de TI, graças ao menor investimento em infraestruturas de TI e menores custos de manutenção.

No Reino Unido, por exemplo, a Comic Relief até excedeu essas estimativas, economizando até 90% de seus gastos com suporte técnico ao ter migrado para a cloud da Amazon Web Services (AWS), ao mesmo tempo que maximizou os donativos.

A Comic Relief organiza um evento anual de caridade na televisão que gera cerca de 98% da sua receita total. Em 2011, a instituição aderiu à cloud para ter uma nova abordagem com os donativos online. Depois, em 2015, criou uma plataforma de angarição de fundos totalmente nova e simplificada. Naquela época, a despesa da instituição com a computação à volta do evento anual era de aproximadamente 86 mil libras (cerca de 100.350€). Em 2019, a Comic Relief envolveu-se ainda mais na cloud da AWS e adotou totalmente a infraestrutura sem servidor, reduzindo os custos de computação em 93% relativamente a 2011. Na verdade, descontando as taxas de licenciamento, o uso da cloud permitiu que a noite mais importante de angariação de donativos em 2019 tivesse custado menos de £500 (580€).

2. Use apenas o que precisa

A flexibilidade é o principal benefício da computação em cloud, permitindo que utilizadores otimizem o custo do seu uso com base no que precisam e quando precisam, em vez de desperdiçar recursos desnecessariamente. Isto é particularmente benéfico, por exemplo, para instituições de caridade com picos sazonais nas suas campanhas de sensibilização e de angariação de fundos.

Na Alemanha, a Aktion Deutschland Hilft (Coligação da Ajuda Humanitária alemã) usa a tecnologia cloud da AWS para aumentar ou diminuir o alojamento na internet consoante os picos de tráfego, variáveis. No caso de um desastre natural, por exemplo, a instituição reage com campanhas direcionadas para a angariação de fundos. Mas a necessidade de campanhas é praticamente impossível de prever, o que significa que a flexibilidade no poder de computação é uma forma inestimável de manter os custos baixos.

3. Melhorar a experiência do doador e do utilizador do serviço

Assim como empresas privadas usam a cloud para inovar, instituições de caridade e organizações sem fins lucrativos estão a desbloquear novos recursos e a melhorar a experiência para doadores e utilizadores de serviços.

Em Itália, por exemplo, a Cooperativa La Meridiana usa o Amazon Chime, um serviço de comunicação para videoconferências, calls e reuniões online, para desenvolver uma nova aplicação, a ‘Isidora’, que ajudará idosos com dificuldades em deslocar-se ao médico, devido a problemas de mobilidade ou desafios geográficos. Ao permitir consultas e diagnósticos remotos, espera-se que a aplicação auxilie comunidades e profissionais de saúde durante a crise do coronavírus, e além.

4. Fiabilidade, mobilidade e segurança

A tecnologia em cloud oferece amplas melhorias de eficiência operacional. Por exemplo, permite uma fiabilidade incomparável e promete 99,99% de uptime, sem quebras. Trabalhar em cloud também significa que os colaboradores podem aceder a serviços e ferramentas importantes em qualquer lugar e a qualquer hora, independentemente de encerramento de escritórios ou outro fator semelhante. Assim, podem apoiar a sua causa social sem interrupções.

Da mesma forma, as soluções em cloud são móveis por natureza, e isso significa que os colaboradores podem aceder a serviços remotamente, como e-mail ou CRMs, para trabalhem sem ficarem presos a um local ou escritório.

A cloud também fornece, às organizações sem fins lucrativos, a segurança e encriptação de padrão empresarial, sem a complexidade de softwares e de firewalls.

5. Apoiar os compromissos de sustentabilidade

A cloud abre novas possibilidades para os compromissos de sustentabilidade das organizações sem fins lucrativos, quer se dedicam diretamente às alterações climáticas ou não. Gerir e processar dados num servidor local aumenta muito as emissões de carbono em comparação com a cloud, que usa menos servidores e tem um consumo mais eficaz de eletricidade.

A Ecosia, “o motor de busca que planta árvores”, doa 80% dos lucros mensais para organizações de conservação da natureza.

A cloud permite que a Ecosia reaja rapidamente a picos no tráfego e forneça um desempenho ideal, ao mesmo tempo que gere cuidadosamente os custos e reduz as emissões de carbono em comparação com as alternativas. A Ecosia tem agora 2,5 milhões de utilizadores ativos por mês e mais de 720.000 solicitações de pesquisa por dia. Ao lidar com isso da forma mais eficiente possível é capaz de financiar a plantação de uma nova árvore a cada 10 a 12 segundos.

Embora as organizações sem fins lucrativos por vezes se sintam limitadas na rapidez com que podem adotar novas tecnologias, e inovar, a cloud oferece-lhes uma oportunidade de igualdade técnica com as grandes empresas. A produtividade dos colaboradores, a eficiência operacional e, as causas apoiadas por estas organizações sem fins lucrativos, vão ser impactadas, em todo o mundo, pelo potencial das tecnologias em cloud.

Pilar Torres, Head of Public Sector, Amazon Web Services, Iberia

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.