Cibersegurança: Dicas essenciais para nómadas digitais

O paradigma do mercado do trabalho mundial modificou-se com a crise pandémica que assolou o mundo. Os dispositivos móveis possibilitaram que muitos colaboradores trabalhem longe dos escritórios, estando assim mais vulneráveis a ataques informáticos.

O relatório mais recente da Bloomcast dá conta que 54% dos que se consideram nómadas digitais viajam a tempo inteiro, enquanto os restantes 46% dizem que viajam em part-time. Além disso, 51% afirmam morar em hotéis.

Esta liberdade tão característica dos nómadas digitais e o facto de estarem constantemente em novos locais traz um novo perigo, a vulnerabilidade ao ataque de hackers.

“São muitas as pessoas que não protegem adequadamente os dispositivos que ligam à Internet e, na maioria das vezes, isto deve-se ao desconhecimento da necessidade de instalação de um sistema de cibersegurança e das melhorias que isso acarreta, especialmente no que diz respeito ao risco que estes sistemas evitam”, refere a nota enviada à imprensa.

Assim, a Bloomcast deixa alguns conselhos básicos de cibersegurança para nómadas digitais.

 

  • Codifique os ficheiros

Uma palavra-passe não é suficiente para proteger o seu computador e, consequentemente, os seus ficheiros. Os hackers têm ferramentas que lhes permite descodificar as palavras-passe, dando-lhes o acesso a todos os ficheiros.

É aconselhável avaliar a opção de codificar os seus arquivos, sendo necessária uma palavra-passe para aceder aos mesmos.

 

  • Crie palavras-passe fortes

Criar uma palavra-passe forte traz segurança. Há quem opte por misturar símbolos, números e caracteres. Apesar de tornar o acesso mais complexo, também o torna mais seguro.

Tem várias ferramentas online que o ajudam a criar uma palavra-passe ou a verificar se a sua palavra-passe é segura.

 

  • Cuidado com as redes Wi-Fi públicas

Aceder a redes Wi-Fi públicas aumenta a probabilidade de sofrer um ciberataque.

Certifique-se primeiro que a rede que acede é a que pretende, evitando assim entrar em redes comprometidas por hackers. Se entrar nestas redes comprometidas, poderão aceder a todos os dados dos dispositivos conectados.

Antes de se conectar desative sempre a opção de partilha automática dos ficheiros nas redes às quais acede, certificando-se assim que não acedem aos seus ficheiros.

 

  • Rede privada virtual

Use redes virtuais privadas, mais conhecidas como VPN. Estas fornecem acesso seguro à Internet e funcionam como se estivesse ligado a uma rede privada, mas em qualquer parte do mundo.

Existem muitas opções de VPN no mercado, algumas gratuitas e outras pagas. Pagar por uma VPN é uma excelente forma de manter os seus dados protegidos na hora de aceder à internet.

Para além de proteger os seus ficheiros, as VPN bloqueiam a possibilidade de alguns sites registarem a sua atividade, ou seja, ninguém saberá o que pesquisa na Internet.

 

  • Obtenha um bom antivírus

Pagar por um antivírus e ter uma solução fiável de proteção é sempre uma boa solução. Com um serviço pago terá acesso a diversos recursos para aumentar a proteção do seu equipamento.

Poderá recorrer a testes gratuitos dos softwares para descobrir qual a melhor solução para cada situação.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.