Bragança, Beja e Lisboa têm os combustíveis mais caros. Saiba onde é mais barato encher o depósito

Os distritos de Bragança, Lisboa e Beja foram aqueles que apresentaram os valores de combustíveis mais elevados no passado mês de janeiro de 2021, de acordo com o mais recente relatório da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE), divulgado esta quarta-feira.

«Em janeiro, a diferença de valor entre o preço médio nacional e o preço médio nos distritos portugueses para a gasolina simples 95 e gasóleo simples foi genericamente mais elevada nos distritos de Bragança, Lisboa e Beja», pode ler-se no documento.

Destes três, Bragança é o local do país onde os combustíveis são mais caros, com a gasolina 95 a custar 1,504 euros/litro e o gasóleo simples cerca de 1,344 euros/litro, o que representa uma subida de 1,5% e de 1,8% respetivamente.

Segue-se Beja, onde o preço da gasolina 95 se fixou em 1,501 euros/litro em janeiro e do gasóleo simples em 1,331 euros/litro, correspondendo a aumentos e 1,3% e de 1,1%, respetivamente. Já em Lisboa, os valores foram de 1,497 euros/litro na gasolina 95 e de 1,333 euros/litro no gasóleo simples, ou seja, subidas de 1,0% e de 1,3%, respetivamente.

Adicionalmente, a ERSE revela que «o distrito de Portalegre também apresenta preços mais elevados face à prática no mercado nacional (1,490 euros/ litro na gasolina 95 e 1,336 euros/litro no gasóleo simples).

Por outro lado, «Braga, Aveiro, Viseu e Santarém são os distritos com os combustíveis rodoviários (gasolina e gasóleo) mais baratos, em Portugal Continental». Assim, o primeiro regista preços de 1,470 euros/litro em gasolina e 1,307 euros/litro em gasóleo; o segundo 1,472 euros por litro em gasolina e 1,311 em gasóleo e o terceiro 1,473 euros/litro em gasolina e 1,309 em gasóleo.

«A diferença de preços médios por litro dos combustíveis rodoviários em Portugal continental é inferior a 5 cêntimos por litro, tanto para as gasolinas como para os gasóleos. Nos Açores e na Madeira vigora um regime de preços máximos de venda ao público da gasolina sem chumbo IO95 e do gasóleo rodoviário», adianta ainda o organismo.

No que diz respeito à garrafa de GPL (butano e propano), Viana do Castelo, Vila Real, Bragança e Portalegre registaram, para Portugal Continental, o menor custo. Por sua vez, Setúbal, Beja, Faro, Lisboa e Coimbra apresentam os preços mais elevados.

Hipermercados são mais baratos

Segundo a ERSE, no caso da gasolina, «os hipermercados continuam a apresentar as ofertas mais competitivas: 3,2% abaixo dos operadores do segmento low cost e 8,6% inferiores aos dos postos de abastecimento que operam sob a insígnia de uma companhia petrolífera, representando uma poupança de 13 cent/l».

Relativamente ao gasóleo, a situação mantém-se, com os hipermercados a apresentar «preços médios cerca de 13 cent/l abaixo do PVP médio nacional. Os operadores com ofertas low cost disponibilizaram gasóleo simples a um preço médio de 1,262 €/l, o que representa um adicional de 3,6% face ao preço dos hipermercados. As companhias petrolíferas de bandeira reportaram preços médios de 1,346€/l, cerca de 2,5 cêntimos por litro acima do preço médio nacional», conclui a ERSE.

 

 

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...