Boris Johnson promete penas mínimas de 14 anos de prisão para terroristas

Boris Johnson defende a implementação de uma pena mínima de 14 anos para terroristas. Num artigo de opinião publicado no Mail on Sunday, o primeiro-ministro britânico diz que se lhe derem uma maioria no Parlamento terá a força necessária para cumprir a sua promessa e proteger os cidadãos. As palavras de Boris Johnson já fizeram, entretanto, com que fosse acusado de se aproveitar de uma tragédia como o ataque da passada sexta-feira – que resultou em dois mortos e três feridos – para conquistar votos.

Segundo adianta o The Independent, Boris Johnson quer acabar com a possibilidade de pessoas acusadas de actos terroristas saírem em liberdade antecipadamente. Na base das suas afirmações está precisamente a libertação de Usman Khan, apontado como o responsável pelo ataque na London Bridge, antes de cumprir o tempo total a que tinha sido condenado: em 2012, foi condenado a 16 anos de prisão por terrorismo; no entanto, poderia sair ao fim de oito anos, algo que aconteceu automaticamente, sem uma nova avaliação do caso.

«Se és condenado por um acto terrorista grave, deveria existir uma sentença mínima de 14 anos – e alguns nunca deveriam sair», escreveu Boris Johnson. «Além disso, para todos os crimes de terrorismo e extremismo, a sentença anunciada pelo juiz deve ser o tempo efectivamente cumprido – estes criminosos devem cumprir todos os dias da pena, sem excepções», acrescenta.

Boris Johnson vai ainda mais longe e afirma que alterações como esta teriam prevenido este ataque – uma vez que Usman Khan ainda estaria preso. «Deem-me a maioria e eu proteger-vos-ei do terrorismo.»

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda