Bill Gates investe em leite neutro em carbono. Lacticínios são responsáveis ​​por 3% das emissões globais

Bill Gates vai investir num novo produto que promete contribuir para o combate às alterações climáticas.

A Neutral, que se apresenta como a primeira marca de alimentos neutros em carbono nos EUA, anunciou esta quinta-feira que levantou uma ronda inicial de financiamento liderada pela Breakthrough Energy Ventures, o fundo de capital de risco focado no clima fundado por Bill Gates, revela a ‘Fast Company’.

O leite da Neutral foi recentemente colocado nas prateleiras de todo o país na Whole Foods. “Ao todo, os lacticínios são responsáveis ​​por 3% de todas as emissões globais, mais do que todo o setor de aviação, e ao trabalhar com os agricultores para reduzir as emissões, a Neutral Foods está a abordar uma das maiores áreas de impacto climático”, explica Carmichael Roberts, empresa que lidera o comité de investimentos da Breakthrough Energy Ventures.

“Como os consumidores estão a comprar este leite, estamos a investir diretamente em fábricas de laticínios em novas tecnologias e projetos de redução da pegada”, comentou Marcus Lovell Smith, CEO da Neutral.

A empresa, que aposta em laticínios para reduzir as emissões o máximo possível e, em seguida, compensa o restante, tornando cada produto neutro em carbono, trabalhou com investigadores para estudar a pegada de carbono dos laticínios, do fertilizante usado para cultivar ração para gado, ao metano proveniente da atividade das, à energia usada nos campos, camiões de entrega, entre outros passos da indústria.

No início deste outono, a empresa trabalhou com três quintas de propriedade familiar em Oregon para semear pastagens com uma mistura de plantas que são ricas em taninos, que as vacas gostam de comer e que pode ajudar a reduzir o metano emitido quando as vacas arrotam.

A empresa está ainda a trabalhar com agricultores para instalar novos sistemas para gerir o volume de esterco, outra fonte do metano. Em algumas fazendas, está previsto plantar-se árvores em pastagens para ajudar a compensar algumas emissões, entre outras soluções.

De forma a compensar as emissões restantes, a marca compra compensações certificadas de outras partes da indústria de lacticínios

A empresa está a planear vender versões neutras em carbono de outros tipos de alimentos: “Começámos no setor de laticínios porque tem uma grande pegada”, disse ainda Smith.

 

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.