barometro


XXXV BARÓMETRO EXECUTIVE DIGEST: Rui Lopes Ferreira, Super Bock Group

A análise de Rui Lopes Ferreira, CEO da Super Bock Group

As mais recentes previsões do Banco de Portugal apontam para o crescimento da economia nacional nos próximos anos: em 2024, o aumento é na ordem dos 2%, sendo esta uma trajetória que poderá manter-se nos dois anos seguintes, com novas subidas, em média, de 2,3%. É um sinal positivo e o único caminho, diria. Sem esquecer também o desacelerar da inflação, que se prevê mais baixa do que o esperado já este ano. É este o cenário macro que o novo Executivo vai herdar, juntamente com uma situação de finanças públicas equilibrada. É um bom ponto de partida, e o desejável é que tenha condições de governabilidade para que sejam implementadas políticas claras e estruturantes que tragam o que é importante para as famílias e empresas nacionais, isto é, estimular que o país entre num ciclo de crescimento sustentado, mas que também os serviços públicos correspondam e satisfaçam as necessidades da população em geral. Particularizo nesta matéria a Educação e o SNS como prioridades em termos de reformas, para receberem investimento e serem mais eficientes. Num mundo tão volátil e que nos traz constantes desafios e mudanças tecnológicas, ambientais e demográficas, estas são duas áreas determinantes para o desenvolvimento humano, social e económico, para a igualdade de oportunidades e para a preparação do futuro do país, que se pretende mais inovador, produtivo e competitivo.

Testemunho publicado na edição de Abril (nº. 217) da Executive Digest, no âmbito da XXXV edição do seu Barómetro.