Bancos centrais já subiram duas vezes mais os juros em sete meses do que em todo o ano passado

Os Bancos Centrais têm subido as taxas de juro por forma a combater a inflação e, nos primeiros sete meses do ano, 71 bancos centrais já subiram os juros quase 230 vezes, duas vezes mais do que em todo o ano passado, revela o ‘Expresso’.

O que registou um maior número de subidas foi o Magyar Nemzeti Bank, o banco central da Hungria que já subiu oito vezes este ano o custo do florim húngaro, tendo aumentado em julho duas vezes e subido, apenas num mês, os juros em 300 pontos-base.

Já a maior subida percentual registada aconteceu com o Banco Central da Argentina, que em julho aumentou a taxa de juro em oito pontos percentuais (800 pontos-base).

O semanário destaca ainda o Reserve Bank of Zimbabwe, o banco central do Zimbabué, que subiu a taxa para 200% no mês de julho, o maior aumento registado.

De destacar ainda na Suíça, o Banque Nationale Suisse, que aumentou os juros em julho e que mesmo assim mantém a taxa mais negativa do planeta, em -0,25%.

Do lado oposto, e em contraciclo, a China desceu em janeiro a taxa para 3,7%, na tentativa de acelerar a economia para dar resposta ao impacto da pandemia no país. Já o Uzbequistão baixou as taxas duas vezes em 2022 e a Rússia procedei a cinco cortes que baixaram a taxa diretora de 20% para 8%.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.