Banco de Portugal instaurou 56 processos no terceiro trimestre. Total das coimas chegou a um milhão de euros

No decurso do terceiro trimestre de 2021, o Banco de Portugal instaurou 56 e decidiu 44 processos de contraordenação, segundo as informações avançadas pela instituição liderada por Mário Centeno.

“Dos 44 processos decididos, 22 respeitam a infrações de natureza prudencial, 9 respeitam a infrações a deveres relativos à prevenção do branqueamento de capitais e do financiamento do terrorismo, 8 respeitam a infrações de natureza comportamental e 5 respeitam a infrações às regras em matéria de recirculação de numerário”, concretiza o supervisor

No contexto das decisões proferidas foram aplicadas coimas que totalizaram 1.581.500,00 euros dos quais 225.mil euros suspensos na sua execução.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.