Balança comercial dos EUA “respira de alívio” pela primeira vez este ano

Abril foi um “mês de alívio” para os EUA. Pela primeira vez este ano o défice para balança comercial desceu, dando lugar ao aumento das exportações em troca de uma queda ligeira das importações.

A diferença entre exportações e importações no comércio de bens e serviços diminuiu 8,2% para 55, 97 mil milhões de euros, em abril, de acordo com dados do Departamento para o Comércio dos EUA, divulgados hoje.

Em abril, as exportações aumentaram para 168,24 mil milhões de euros, o número mais alto desde janeiro de 2020, enquanto as importações caíram para os 224,9 mil milhões de euros.

“Estes dados são sinais claros do desconfinamento e da recuperação económica dos EUA. As pessoas já não estão em casa, já não pedem tantas encomendas do estrangeiro”, como explica o painel de análise da Bloomberg.

Por outro, como ainda refere a agência norte-americana, “a abertura de fronteiras e o aumento da procura na economia mundial fez disparar as exportações, não só dos EUA, mas de vários países do mundo”.



Comentários
Loading...