Associação fundada por Ana Gomes propôs uma ação contra Apple por “publicidade enganosa”

A associação Ius Omnibus, fundada por Ana Gomes, entregou esta segunda-feira no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa uma ação popular para “defender os consumidores portugueses lesados pelas práticas ilícitas da Apple relativas à transmissão de informação e publicidade enganosa sobre a resistência a líquidos de iPhones”, revela a organização num comunicado enviado às redações.

Na nota pode ainda ler-se que “em causa está o facto de a Apple ter vendido, entre setembro de 2016 e a presente data, vários modelos de iPhone, informando e publicitando que esses telemóveis têm determinadas características de resistência a líquidos que, na verdade, não têm”.

A Ius Omnibus estima que cada iPhone tenha sido, em média, 101 euros mais caro do que devia, já que a empresa “não repara ou substitui smartphones danificados com líquidos”.

“A Ius pede, assim, ao Tribunal que declare a infração lesiva de interesses difusos e direitos dos consumidores e ordene o seu reconhecimento público pela Apple; imponha à Apple a cessação destas práticas ilícitas; ordene o pagamento pela Apple de indemnização a todos os consumidores portugueses afetados pelo dano de sobrepreço; e declare o dever da Apple de indemnizar todos os consumidores portugueses que sofreram danos com reparação ou substituição de iPhones, permitindo que estes possam requerer posteriormente estas indemnizações”, conclui a associação.

A organização estima que, no total, a marca fundada por Steve Jobs deve pagar uma indemnização de 137 milhões de euros.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.