Ar condicionado pode ser fonte de contágio de COVID-19. O que isto significa para as lojas?

O sector dos serviços pode ter pela frente outro desafio. Além de garantir que são cumpridas todas as recomendações de higiene e segurança, providenciar a distância social necessária para trabalhadores e clientes, agora também tem de pensar no ar condicionado. Um estudo publicado na revista científica Emerging Infectious Diseases mostra que nove pessoas num restaurante foram infectadas por COVID-19 e que a causa mais provável é o sistema de ar condicionado.

O caso remonta a Janeiro deste ano e diz respeito a um restaurante sem janelas em Guangzhou, na China. Os investigadores, citados pelo Business Insider, acreditam que o vírus terá tido origem num cliente assintomático, sendo propagado através do ar condicionado que o levou a uma distância maior do que seria habitual.

Segundo a mesma publicação, esta é uma descoberta preocupante para quem se tem esforçado para manter a distância de segurança, uma vez que, afinal, poderá não ser suficiente. Ainda assim, há uma nota positiva a realçar: nenhum dos outros 73 clientes ou oito empregados do restaurante ficaram doentes.

A recomendação vai, por isso, para um aumento ainda maior da distância entre mesas. No mesmo sentido, deverá ser melhorada a ventilação de todos os estabelecimentos, incluindo restaurantes, mas também lojas ou outros serviços abertos ao público.

Ainda não se sabe exactamente como serão os primeiros tempos pós-confimanento, mas o Business Insider considera que é possível que sejam implementadas algumas restrições. Quando os restaurantes puderem voltar a receber clientes, por exemplo, é possível que seja imposta uma duração máxima para a refeição e que o número de pessoas seja limitado (como acontece actualmente nos supermercados portugueses).

O ar condicionado – ou equipamentos semelhantes – poderão ter de ser desligados, os restaurantes poderão ter de investir em menus descartáveis, bem como máscaras e luvas para os funcionários. Outra possibilidade será a obrigatoriedade dos métodos de pagamento contactless.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.