Aon adapta escritórios de Lisboa e do Porto e aposta no “Smart Working”

A Aon, empresa de serviços profissionais nas áreas de risco, reforma e saúde, aposta na dinamização dos seus escritórios com as novas experiências e modelos de trabalho no espaço físico a exigirem um novo ambiente e modelo de trabalho dinâmico.

Em comunicado, a empresa explica que “a aceleração na experiência de trabalho remoto, a que temos assistido nestes dois últimos anos, deixou claro novas formas de produtividade e de equilíbrio entre o trabalho e a vida pessoal”, por esse motivo apostam no “Smart Working” que surge como uma nova tendência no mundo do trabalho que permite identificar necessidades e procurar soluções eficazes na flexibilidade laboral.

Acrescentam ainda que “ao introduzir o Smart Working no seu modelo de trabalho tem como objectivo criar uma forma de trabalhar saudável, produtiva, inclusiva e sustentável, permitindo a todos os colaboradores realizarem o seu trabalho da melhor forma”. Com este novo modelo, em conjunto com os managers, os colaboradores podem optar pela forma de horário flexível e pela escolha de local de trabalho no qual se sintam mais confortáveis e produtivos: presencial, quatro a cinco dias no escritório por semana; híbrido, um a três dias no escritório por semana; e remoto, um a dois dias no escritório por mês. Este novo conceito vai facilitar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional das equipas.

Assim, é a partir desta premissa que os escritórios, de Lisboa e do Porto, foram adaptados para tornar o espaço físico mais aprazível com espaços definidos para o convívio e para a co-criação, com o propósito de garantir uma boa experiência no escritório com muitas áreas colaborativas, onde a tecnologia está integrada no espaço. Assim, todas as áreas de trabalho estão equipadas tecnologicamente com acesso wi-fi e multi-écrans acessíveis a uma ligação para a realização de reuniões ou conferências.

Nos escritórios de Lisboa, no piso da receção está também localizado o espaço de confraternização e de convívio para os momentos de pausa dos colaboradores. Nos outros dois pisos, estão o open space amplo e colaborativo, sem lugares atribuídos, e as call rooms que permitem uma maior privacidade em chamadas ou reuniões mais formais. Para as reuniões mais informais existem espaços de co-criação com sofás e mesas, com diferentes capacidades, que permitem a partilha e troca de ideias entre os colaboradores de uma forma mais descontraída. Existe também um auditório híbrido que permite a realização de videoconferências e eventos, externos ou internos.

Para Carlos Freire, CEO da Aon, “ao introduzir o conceito de Smart Working no modelo de trabalho da Aon, propomo-nos a que o escritório funcione, sobretudo, como um espaço de encontro e discussão entre as equipas, deixando o trabalho individual e de concentração para realizar em casa. E de acordo com a implementação deste modelo e com o facto de introduzirmos mais espaços físicos colaborativos, fizemos adaptações no escritório permitindo que funcione como um espaço acolhedor e de partilha, quer seja para os colaboradores ou para os clientes que nos visitam”.

Aon estima que 2021 foi 3.º pior ano de sempre em prejuízos por desastres naturais

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.