António Rios Amorim reconduzido como presidente executivo da Corticeira Amorim

António Rios Amorim foi reconduzido como presidente da Comissão Executiva (CE) da Corticeira Amorim, de acordo com um comunicado hoje publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Assim, de acordo com a mesma nota, o Conselho de Administração escolheu o gestor para presidir a este órgão, para o mandato de 2021-2023 que terá três vogais: Nuno Barroca de Oliveira, Fernando dos Santos Almeida e Cristina Rios de Amorim.

Foram ainda designadas três comissões internas especializadas, uma de risco, presidida por António Lopes Seabra, outra de nomeações, avaliação e remunerações, liderada por Maria Cristina Vilão, e uma terceira de ESG (Evironmental, Social and Governance) que terá como presidente Marta Parreira Ribeiro.

Os acionistas da Corticeira Amorim aprovaram no dia 23 de abril a distribuição de um dividendo bruto de 18,5 cêntimos por ação relativo a 2020 e as contas do exercício passado, em que o lucro consolidado diminuiu 14,2%, para 64,3 milhões de euros.

Segundo um comunicado enviado à CMVM foi “aprovada, por maioria, a proposta de aplicação de resultado líquido positivo de 36.176.565,39 euros, apurado segundo as contas sociais”, dos quais 24,605 milhões de euros destinados a dividendos e perto de 11,572 milhões de euros a reservas livres.

Os dividendos serão pagos a partir de 17 de maio, correspondendo a um valor líquido por ação de 13,32 cêntimos no caso das pessoas singulares e a 13,875 cêntimos por ação para as pessoas coletivas.

Os acionistas aprovaram ainda, por maioria, os documentos de prestação de contas relativos ao exercício de 2020, ano em que as vendas consolidadas diminuíram 5,2%, para 740,1 milhões de euros.

Por maioria foram também aprovados os relatórios do governo societário e de informação não financeira – relatório de sustentabilidade do exercício de 2020 e um voto de confiança ao Conselho de Administração, ao Conselho Fiscal e ao Revisor Oficial de Contas, assim como decidida a aquisição/alienação de ações próprias.

Os acionistas deliberaram ainda, por unanimidade, a alteração da estrutura atual da administração e fiscalização da sociedade (modelo latino ou clássico reforçado) para Conselho de Administração, compreendendo uma comissão de auditoria e revisor oficial de contas (modelo anglo-saxónico), com vista a “um melhor cumprimento dos requisitos e ‘best practices’ em termos de ‘governance'”.

A reunião magna aprovou também, por maioria, a alteração parcial dos estatutos da sociedade e a eleição dos membros dos órgãos sociais para o triénio 2021/2023, onde mantêm António Rios de Amorim e Nuno Barroca de Oliveira como presidente e vice-presidente, respetivamente, do Conselho de Administração, e Paulo de Tarso da Cruz Domingues como presidente da mesa da assembleia.

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...