Alemanha já tem guia fiscal para criptomoedas: Esta é a “fasquia que Portugal deverá” alcançar, alerta presidente da Anchorage Digital

Na quarta-feira, o Ministério das Finanças da Alemanha divulgou orientações para os impostos sobre as criptomoedas, as primeiras para estes ativos no país, sendo que qualquer pessoa ou empresa que as negoceie estará isento se as mantiver durante mais de um ano.

O documento também se refere a orientações para outros tokens baseados em blockchain e explica que o período de um ano se aplica até mesmo a criptomoedas emprestadas ou usadas por outra pessoa.

Para além disso, a secretária parlamentar de Estado, Katja Hessel, descartou aplicar um período de retenção de 10 anos de criptomoedas para se ser isento de impostos.

Diogo Mónica, cofundador e presidente da Anchorage Digital, explicou que “Com a sua nova orientação fiscal para as criptomoedas, a Alemanha fornece a Portugal um modelo que é claro, competitivo e aproveita os benefícios públicos deste tipo de receitas fiscais, mantendo ao mesmo tempo os consumidores portugueses na vanguarda da inovação financeira”.

Sobre o futuro, o responsável da plataforma de ativos digitais alerta que “nos próximos anos, as empresas cripto continuarão a recorrer a países como a Alemanha, que oferecem políticas equilibradas e de senso comum, que apoiam a inovação da indústria e atraem empresários, oferecendo receitas fiscais e benefícios para consumidores e empresas que querem contratar”.

“A orientação e competitividade alemã são agora a fasquia que Portugal deverá ter em conta se quiser manter e melhorar o seu estatuto de hub cripto e de inovação tecnológica, a nível global”, conclui.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.