Afinal, Trump não vai aliviar tarifas sobre importações chinesas

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, desmentiu esta sexta-feira o seu conselheiro económico, Larry Kudlow, deitando por água abaixo as esperanças sobre um possível acordo comercial com a China.

Trump terá dito que não existe nenhum entendimento com a China sobre a retirada de forma faseada das tarifas aduaneiras impostas entre as duas maiores economias do mundo, segundo a Reuters. “A China gostaria que fizéssemos marcha-atrás. Não farei isso”, declarou o Presidente dos EUA, numa afirmação que poderá colocar em risco o avanço de negociações para o acordo comercial.

Ontem, Larry Kudlow disse à “Bloomberg” que existia um avanço nas negociações entre as duas partes, acrescentando que «se houver um acordo para a primeira fase, vai ser devido aos entendimentos e concessões quanto à eliminação das tarifas».

Além do conselheiro económico da Casa Branca, também Gao Feng, porta-voz do Ministério do Comércio chinês, tinha confirmado que a China e os Estados Unidos teriam chegado a acordo para retirar gradualmente as tarifas.

“Se a China e os Estados Unidos chegarem a um acordo nesta ‘primeira fase’, os dois lados deverão eliminar as taxas em simultâneo e na mesma proporção”, acrescentou. “As delegações esperam resolver o conflito “com base na igualdade e no respeito mútuo”, disse.

Os governos dos dois países impuseram já taxas alfandegárias sobre centenas de milhares de milhões de euros de bens importados um do outro, numa guerra comercial que começou no verão do ano passado.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) tem alertado para o impacto na economia global das disputas comerciais entre as duas maiores economias do mundo e reduziu as previsões de crescimento para os EUA e para a China em 2018 e 2019.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Nescafé Dolce Gusto abre casa pop-up só para amantes de café
Automonitor
SEAT Mii electric quase a chegar