Ações da Tesla batem novo recorde. Empresa de Musk a um passo da marca de um bilião de dólares

A Tesla está prestes a fazer parte do grupo de empresas avaliadas em um bilião de dólares, como a Apple, Alphabet, Microsoft e Amazon. A ‘galinha dos ovos de ouro’ da empresa é o Model 3. O feito acontece onze anos depois da sua estreia em bolsa.

O Facebook conseguiu mais rapidamente atingir a marca do 1 bilião de dólares, ainda que neste momento a capitalização de mercado do grupo esteja abaixo desta linha, devido às transações de ações dos últimos dois meses.

As ações da Tesla subiram 7,7% na segunda-feira, o maior movimento intradiário desde 13 de abril.

Atualmente, o preço por ação está num novo recorde, sendo negociado acima dos 970 dólares. Para tocar na marca de um bilião de dólares, cada ação tem de bater, segundo as contas da Bloomberg, nos 995,72 dólares.

O calculo de capitalização de mercado da agência norte-americana tem por base os mil milhões de ações registados a partir trilião, com base em cerca de mil milhões de ações pendentes a partir de 21 de outubro.

As ações da Tesla têm estado numa maré de sorte nos últimos cinco meses, subindo mais de 70% desde meados de maio.

No entanto, o rali teve um grande impulso este mês, devido a uma série de boas noticias: uma subida nas entregas no terceiro trimestre, uma grande encomenda da gigante de aluguer de automóveis Hertz Global Holdings, e um relatório que afirma que o Model 3 da empresa foi o veículo mais vendido na Europa no mês passado.

Há alguns dias, o banco Morgan Stanley emitiu uma missiva, onde afirma que o desenvolvimento tecnológico da empresa de turismo espacial de Elon Musk tem “tem o potencial de transformar as expectativas dos investidores em torno da indústria espacial”, escreveu Adam Jonas, analista do Morgan Stanley, numa nota enviada aos investidores esta segunda-feira.

“Como uma vez disse um cliente, falar sobre o Espaço sem a Starship é como falar sobre a internet antes do Google’”, acrescentou Jonas.

Na opinião do Morgan Stanley, a empresa de Musk criou um “volante duplo” de desenvolvimento de tecnologia com foguetões reutilizáveis,  a que acresce os satélites de outra empresa do autodemoninado “im“erador de marte”, a Starlink.

O banco  alicerça grande parte da avaliação da SpaceX no potencial de ganhos da rede de internet por satélite Starlink, que Musk disse anteriormente que poderia arrecadar em receita de até 30 mil milhões de dólares por ano.

“Vemos os recursos de lançamento da SpaceX e da Starlink como indissociáveis”. O banco norte-americano acredita que na próxima década a empresa de satélites vai gastar 33 mil milhões de dólares em custos operacionais, esperando um fluxo de caixa positivo só em 2021.

Esta avaliação do banco, confirma a sua previsão do ano passado, quando a Spaxe X apenas estava perto dos 44 mil milhões de dólares.

“Já vários clientes nos disseram que se Elon Musk se tornasse o primeiro “trillionaire”, não será por causa do Tesla, mas sim devido ao crescimento da Space X e Starlink. Por outro lado, há inclusive que acredite que a SpaceX pode eventualmente ser a empresa mais valorizada do mundo – em qualquer indústria”, rematou Jonas.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.