Acionistas da Tesla pedem demissão de Musk. Aumenta tensão em torno dos 55 mil milhões de bónus

Os investidores da Tesla estão a ser instados a votar para retirar Elon Musk, atual CEO da empresa de veículos elétricos, do conselho de administração, à medida que aumenta o desagrado e tensão em torno do seu acordo de bónus que poderá permitir-lhe arrecadar o valor recorde de 55,8 mil milhões de dólares, noticia o ‘The Guardian’.

Pirc, um influente consultor dos acionistas, incluindo os fundos de pensão da autoridade local do Reino Unido, já veio recomendar que os investidores votassem contra o acordo de pagamento da Tesla, porque “enriquece injustamente o diretor executivo”.

O consultor disse ainda que o acordo expôs a empresa a uma ação judicial, alegando que “o conselho, incluindo o CEO Elon Musk, concedeu a si mesmos pacotes de remuneração excessiva por um período de três anos, que supostamente permitiu que os diretores ‘enriqueçam’ às custas da empresa”.

O especialista pediu aos investidores que votassem contra a reeleição de Musk para o conselho, com base neste acordo salarial, e alertou que Musk representa “um sério risco de danos à reputação da empresa e dos seus acionistas”.

Pirc acrescentou ainda que as frequentes controvérsias de Musk no Twitter custaram à Tesla milhões de dólares em acordos e também representaram um “risco de reputação desnecessário para a empresa”.

No ano passado, Musk foi processado, em 190 milhões de dólares, por danos e difamação, devido a tweets depreciativos sobre o caçador britânico Vernon Unsworth, que estava a ajudar a resgatar 13 pessoas presas numa caverna tailandesa. Contudo, o tribunal decidiu que os tweets não atingiam o padrão legal de difamação e Musk não foi responsabilizado por danos.

Em 2018, o regulador da Securities and Exchange (SEC) dos EUA multou Musk e a Tesla em 20 milhões de dólares pelos tweets do CEO em que planeava tornar a empresa privada com um prémio substancial ao preço das ações, causando um aumento no preço das ações. Como parte do acordo com a SEC, Musk foi forçado a desistir de sua posição como presidente da Tesla.

O relatório aos acionistas de Pirc também levantou preocupações sobre os tweets de Musk em oposição às medidas de bloqueio da Covid-19. “Musk tem sido um oponente da quarentena da Covid-19 e supostamente exigia que os trabalhadores retornassem ao trabalho durante a quarentena, sem precauções e proteções suficientes, apesar dos protestos dos trabalhadores”, detalhou Pirc.

Os investidores também foram convidados a votar contra a reeleição de Robyn Denholm como presidente da Tesla. Ela foi a escolha para suceder a Musk quando ele foi forçado a renunciar em novembro de 2018.

A assembleia geral anual da Tesla deveria acontecer a 7 de julho mas a empresa, no domingo, decidiu passar a votação para setembro.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...