Acionistas da Jerónimo Martins aprovam dividendo bruto de 28,8 cêntimos

Os acionistas da Jerónimo Martins aprovaram hoje, em assembleia-geral (AG) um dividendo bruto de 28,8 cêntimos por ação da dona do Pingo Doce, cujo pagamento ocorrerá em 06 de maio, segundo dois comunicados hoje divulgados ao mercado.

Assim, nas notas, publicadas pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o grupo referiu que a AG deu luz verde à “proposta de aplicação de resultados”, de 2020, recordando que a empresa “apresentou um lucro consolidado de 312.130.456,03 euros e um lucro nas contas individuais de 436.502.478,15 euros”.

Por isso os resultados serão divididos pelas reservas livres (255.513.422,79 euros) e pelos dividendos (180.989.055,36 euros), sendo que neste último caso “o pagamento do dividendo ocorrerá no próximo dia 6 de maio de 2021, sendo que as ações passarão a ser transacionadas sem direito ao mesmo dois dias úteis antes dessa data, ou seja, no dia 4 de maio de 2021”.

Além disso, os detentores de títulos da Jerónimo Martins aprovaram “os documentos de prestação de contas do exercício de 2020, incluindo o relatório de gestão, as contas individuais e consolidadas, o relatório de governo societário e outros documentos de informação societária e de fiscalização e auditoria”.

A AG validou ainda um “voto de apreço, reconhecimento e confiança ao Conselho de Administração e a todos e a cada um dos seus membros e, em especial, ao seu Presidente, Pedro Soares dos Santos, também pela forma como conduziu a gestão da Sociedade no exercício de 2020, bem como à Comissão de Auditoria e a todos e cada um dos seus membros” e a “política de remuneração dos órgãos da sociedade”.

O lucro do grupo Jerónimo Martins caiu 19,9% no ano passado, face a 2019, para 312 milhões de euros.

“O grupo termina 2020 bem preparado, com uma inquestionável solidez de balanço e com posições competitivas reforçadas, que lhe permitirão lidar com os desafios de uma envolvente que, em 2021, ainda vai ser impactada pela pandemia de covid-19”, referiu a Jerónimo Martins, no comunicado dos resultados do ano passado enviado no início de março à CMVM.

“Assim, entende o Conselho de Administração propor à assembleia-geral de acionistas a distribuição de 181 milhões de euros em dividendos, correspondente à aplicação da política definida”, sendo que “esta proposta corresponde a um dividendo bruto de 0,288 euros por ação (excluindo as 859 mil ações próprias em carteira) e representa um ‘payout’ de cerca de 50% dos resultados líquidos consolidados, excluídos os efeitos da aplicação da IFRS16”, referiu o grupo.

A Jerónimo Martins salientou que a “proposta de distribuição de dividendos permite ao grupo preservar total flexibilidade para acelerar os seus planos de expansão e aproveitar qualquer potencial oportunidade de crescimento não orgânico, mantendo, em simultâneo, um balanço forte”.

Para o presidente da Jerónimo Martins, Pedro Soares dos Santos, 2020 “foi um ano de verdadeira superação” por parte das equipas do grupo, “em especial daquelas que, trabalhando nas lojas e nos centros de distribuição, estiveram na linha da frente das operações”, a quem deixou “uma nota de especial reconhecimento”, numa mensagem no comunicado dos resultados.

“Entrámos em 2021 com a confiança renovada na capacidade de cada insígnia antecipar os impactos da crise pandémica que continua, e continuará, a marcar o contexto operacional, com maior intensidade na primeira metade do ano. Olhando para a frente, sentimo-nos capazes, apesar dos desafios acrescidos, de continuar a crescer de forma rentável e sustentável”, adiantou Pedro Soares dos Santos, citado no comunicado.

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...