Accenture Digital Business: Está na hora de reinventar o produto

Chegou a era dos produtos inteligentes, conectados e guiados por software

Os produtos estão a tornar-se inteligentes, interligados e guiados por software, possibilitando a criação de valor para fabricantes e utilizadores.

Para estarem na vanguarda, as empresas que criam produtos devem empreender a sua jornada até ao novo mundo do produto, aquilo a que chamamos de Produto X.0.

O que é o Produto X.0? É um produto que se torna um serviço com experiência.

A REINVENÇÃO DO PRODUTO

Chegou a nova era de produtos interligados.

As empresas fabricantes de produtos enfrentam um novo mundo no qual as tecnologias digitais e o software estão tão acessíveis, consolidados e generalizados que eventualmente estimularão novos tipos de produtos.

Automóveis, electrodomésticos, equipamentos industriais, aparelhos médicos e produtos de software estão a ser reinventados como recipientes inteligentes e conectados para aparelhos e experiências de utilizadores guiados por software.

Isto cria elevada disrupção e novas oportunidades para as empresas fabricantes de produtos.

Para as empresas que querem tirar o máximo partido desta reinvenção, Eric Schaeffer e David Sovie da Accenture escreveram o livro “Reinventing the Product”. Livro este que foi escrito com o objectivo de ajudar as empresas a dominarem a arte da reinvenção do produto bem como a aproveitarem o enorme potencial de valor que as tecnologias digitais podem oferecer.

O NOVO MUNDO DO PRODUTO

Considera-se que as empresas fabricantes de produtos têm de levar a cabo cinco grandes mudanças:

  • De características a experiências. Os utilizadores de produtos querem aparelhos que oferecem experiências altamente personalizadas e fluidas, que sejam personalizadas pela utilização.
  • De hardware a serviço. As empresas que fabricam produtos transformam produtos inteligentes e interligados em portadores de serviços cujo objectivo é a personalização máxima.
  • De produtos a plataformas. Os habitats dos novos produtos são plataformas e ecossistemas. Por isso, as empresas fabricantes de produtos devem aprender a construir novos ecossistemas em torno dos seus produtos.
  • Do mecânico ao digital e à Inteligência Artificial. Até 90% do valor económico e de utilizador criado por um produto será obtido pelos seus componentes digitais e de software.
  • Do linear à engenharia ágil. As tendências de um a quatro forçarão as empresas de produto a disponibilizarem novas práticas de desenvolvimento, inovação, produção e gestão de produto.

A TECNOLOGIA E O SOFTWARE COMO FONTES DE VALOR

Nos produtos inteligentes e interligados, as partes digitais e o software serão os únicos componentes que permitem a criação de valor.

Algumas empresas de produtos industriais já estão a criar esses produtos ou a seguirem esse caminho. O Haier Group, um grupo chinês que cria linhas de electrodomésticos inteligentes e conectados. A Faurecia, fabricante de peças automóveis, está prestes a revolucionar o interior dos carros ao torná-los inteligentes e interactivos.

ACABOU-SE O PERÍODO EM QUE HAVIA “VENDER E ESQUECER”

A reinvenção do produto tornou-se possível graças à inteligência artificial e outras tecnologias digitais, como sensores da Internet das Coisas, blockchain, analítica avançada e cloud. Essas tecnologias cognitivas dão aos produtos uma “mente” que funciona com a máxima autonomia.

Os produtos não se limitarão a serem vendidos e esquecidos. Após o envio, permanecerão ligados à base do fabricante e por isso transmitirão dados, permitindo uma gestão continuada pelo fabricante. As empresas que fabricam produtos usarão esse “cordão umbilical” para continuarem a ser inovadoras, designers de serviço, guardiãs intelectuais e tutoras do produto.

CHEGOU ENTÃO A HORA DE MUDAR OPERAÇÕES

A alvorada do novo mundo do produto tem consequências profundas na forma como os aparelhos são fabricados. As estruturas de custos de produção de fabricantes, fornecedores e parceiros do ecossistema, as tendências de desenvolvimento e as abordagens à inovação tornam-se ligadas e ágeis.

Uma decisão importante para os negócios é como e quando liderar a organização para o novo mundo do produto. Escolher a altura certa e o grau mais adequado para a base do negócio é fundamental, assim como definir a via para linhas de produtos novos, inteligentes e conectados. O futuro chegou. Estão prontos?

Artigo publicado na Revista Executive Digest n.º 158 de Maio de 2019.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
178 restaurantes juntam-se à Rota de Tapas Estrella Damm
Automonitor
As melhores imagens da 2ª Conferência AUTOMONITOR