Accenture Digital Business: Está na hora de reinventar o produto

Chegou a era dos produtos inteligentes, conectados e guiados por software

Os produtos estão a tornar-se inteligentes, interligados e guiados por software, possibilitando a criação de valor para fabricantes e utilizadores.

Para estarem na vanguarda, as empresas que criam produtos devem empreender a sua jornada até ao novo mundo do produto, aquilo a que chamamos de Produto X.0.

O que é o Produto X.0? É um produto que se torna um serviço com experiência.

A REINVENÇÃO DO PRODUTO

Chegou a nova era de produtos interligados.

As empresas fabricantes de produtos enfrentam um novo mundo no qual as tecnologias digitais e o software estão tão acessíveis, consolidados e generalizados que eventualmente estimularão novos tipos de produtos.

Automóveis, electrodomésticos, equipamentos industriais, aparelhos médicos e produtos de software estão a ser reinventados como recipientes inteligentes e conectados para aparelhos e experiências de utilizadores guiados por software.

Isto cria elevada disrupção e novas oportunidades para as empresas fabricantes de produtos.

Para as empresas que querem tirar o máximo partido desta reinvenção, Eric Schaeffer e David Sovie da Accenture escreveram o livro “Reinventing the Product”. Livro este que foi escrito com o objectivo de ajudar as empresas a dominarem a arte da reinvenção do produto bem como a aproveitarem o enorme potencial de valor que as tecnologias digitais podem oferecer.

O NOVO MUNDO DO PRODUTO

Considera-se que as empresas fabricantes de produtos têm de levar a cabo cinco grandes mudanças:

  • De características a experiências. Os utilizadores de produtos querem aparelhos que oferecem experiências altamente personalizadas e fluidas, que sejam personalizadas pela utilização.
  • De hardware a serviço. As empresas que fabricam produtos transformam produtos inteligentes e interligados em portadores de serviços cujo objectivo é a personalização máxima.
  • De produtos a plataformas. Os habitats dos novos produtos são plataformas e ecossistemas. Por isso, as empresas fabricantes de produtos devem aprender a construir novos ecossistemas em torno dos seus produtos.
  • Do mecânico ao digital e à Inteligência Artificial. Até 90% do valor económico e de utilizador criado por um produto será obtido pelos seus componentes digitais e de software.
  • Do linear à engenharia ágil. As tendências de um a quatro forçarão as empresas de produto a disponibilizarem novas práticas de desenvolvimento, inovação, produção e gestão de produto.

A TECNOLOGIA E O SOFTWARE COMO FONTES DE VALOR

Nos produtos inteligentes e interligados, as partes digitais e o software serão os únicos componentes que permitem a criação de valor.

Algumas empresas de produtos industriais já estão a criar esses produtos ou a seguirem esse caminho. O Haier Group, um grupo chinês que cria linhas de electrodomésticos inteligentes e conectados. A Faurecia, fabricante de peças automóveis, está prestes a revolucionar o interior dos carros ao torná-los inteligentes e interactivos.

ACABOU-SE O PERÍODO EM QUE HAVIA “VENDER E ESQUECER”

A reinvenção do produto tornou-se possível graças à inteligência artificial e outras tecnologias digitais, como sensores da Internet das Coisas, blockchain, analítica avançada e cloud. Essas tecnologias cognitivas dão aos produtos uma “mente” que funciona com a máxima autonomia.

Os produtos não se limitarão a serem vendidos e esquecidos. Após o envio, permanecerão ligados à base do fabricante e por isso transmitirão dados, permitindo uma gestão continuada pelo fabricante. As empresas que fabricam produtos usarão esse “cordão umbilical” para continuarem a ser inovadoras, designers de serviço, guardiãs intelectuais e tutoras do produto.

CHEGOU ENTÃO A HORA DE MUDAR OPERAÇÕES

A alvorada do novo mundo do produto tem consequências profundas na forma como os aparelhos são fabricados. As estruturas de custos de produção de fabricantes, fornecedores e parceiros do ecossistema, as tendências de desenvolvimento e as abordagens à inovação tornam-se ligadas e ágeis.

Uma decisão importante para os negócios é como e quando liderar a organização para o novo mundo do produto. Escolher a altura certa e o grau mais adequado para a base do negócio é fundamental, assim como definir a via para linhas de produtos novos, inteligentes e conectados. O futuro chegou. Estão prontos?

Artigo publicado na Revista Executive Digest n.º 158 de Maio de 2019.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Marcas vão gastar até 15 mil milhões em Marketing de Influência
Automonitor
Como saber se o carro tem o conta-quilómetros martelado?