“A brincar, a brincar”, mercado dos brinquedos perdeu 9,4 milhões no 1.º semestre

O mercado de brinquedos em Portugal sofreu uma quebra de 9,4 milhões de euros no primeiro semestre de 2021. Confinamento foi um dos principais impulsionadores deste resultado.

Os dados da GfK divulgados esta quarta-feira revelam que se registou uma variação negativa (-19%) em relação ao mesmo período do ano passado. Os mesmos revelam ainda uma queda acentuada da venda de brinquedos na época da Páscoa, já que a grande distribuição não estava permitida a vendê-los, devido ao contexto pandémico.

O estudo intitulado “Principais tendências do mercado de brinquedos em Portugal no 1.º semestre de 2021” revela que as categorias de brinquedos, à exceção dos “Eletrónicos”, com “Bonecas”, “Jogos & Puzzles” e “Figuras de Ação”, apresentaram as maiores quedas (-33%, -26% e -23% respetivamente). A categoria “Construções”, mesmo estando em solo negativo, foi a que assistiu a uma queda menos significativa.

Outro dado relevante neste estudo mostra que a categoria “Bonecas” perdeu relevância, caindo de 19% para 15,8%. “Construções” passa a ser a categoria com maior peso, com 17,1% (14,5% no primeiro semestre de 2020). Em destaque está também o aumento de quota da categoria de “Desporto & Ar Livre” e a queda de quota de “Jogos & Puzzles”.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.