60% dos deslocados internos na Ucrânia perderam o emprego desde o início da guerra

De acordo com um estudo recente, 60% dos deslocados internos na Ucrânia, que estavam empregados antes de serem obrigados a abandonar as suas casas, perderam o emprego. Entenda-se por deslocados internos aqueles que foram forçados a abandonar as suas casas por conta da guerra mas que não atravessaram a fronteira do país.

A pesquisa realizada pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) de 17 a 23 de julho, mostra ainda que 9% dos deslocados internos não aufere rendimentos desde 24 de fevereiro e que 25% disseram que o rendimento familiar é inferior a 5.000 hryvni (cerca de 134 euros) por mês.

“Mais de 6,6 milhões de pessoas estão deslocadas internamente na Ucrânia, de acordo com a última pesquisa. A parcela da população deslocada representa 15% da população geral da Ucrânia e cresceu ligeiramente desde o final de junho, quando a OIM avaliou o número de deslocados internos em cerca de 6,3 milhões. Os movimentos recentes foram registrados predominantemente no leste, sul e norte da Ucrânia”, disse a OIM, de acordo com a agência de notícias ‘Interfax’.

O estudo da OIM alerta ainda para a necessidade de assistência a estas pessoas para o inverno. “Até 44% de todos os entrevistados disseram que precisam de apoio com reparações de preservação de calor. Mais de um quarto das pessoas deslocadas temem precisar de deixar as suas casas devido ao aquecimento insuficiente antes do inverno”.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.