59% das PME portuguesas está mais dependente da tecnologia depois da pandemia, revela estudo da Sage

Um estudo recente desenvolvido pela Sage revela que 59% das empresas portuguesas considera estar mais dependente de tecnologia após a pandemia. Por outro lado, para 11% das PME a falta de competências digitais foi uma das principais barreiras que impactou o negócio nos últimos 12 meses.

O estudo “Pequenos negócios, grandes oportunidades?” teve como intuito perceber os impactos da pandemia de Covid-19 nas PME e compreender o quanto foram afetadas a nível tecnológico.

Esta análise da Sage revela ainda que 68% estão confiantes quanto à melhoria das capacidades digitais da sua equipa ao longo do próximo ano, e 59% sentem-se mais preparadas, agora, para lidar com novas tecnologias.

Nesse sentido, 49% das PME inquiridas revelou que espera aumentar o seu investimento em tecnologia nos próximos 12 meses. Dentro deste espetro, as áreas em que pretendem investir são o marketing e publicidade (36%), o seu próprio website (29%), vendas e CRM (23%), e-commerce (20%) e hardware de TI (20%).

“Com uma amostra significativa de decisores das PME a considerar aumentar anda mais o seu investimento em tecnologia ao longo do próximo ano, existe um consenso esmagador de que esta tendência veio para ficar. A tecnologia desempenhou um papel fundamental junto das empresas portuguesas durante a pandemia, ajudando-as a ultrapassar os obstáculos que enfrentavam – por isso, talvez não seja surpreendente que a maioria das PME considere que este período aumentou, de forma permanente, o seu grau de dependência na tecnologia”, afirmou Josep María Raventós, Country Manager da Sage Portugal.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.