534 confinados inscreveram-se para o voto antecipado. Têm de cumprir quarentena 48 horas antes

O secretário adjunto da administração interna, Antero Luís, revelou esta quinta-feira que se registam até ao momento 534 inscrições para os cidadãos em confinamento que querem proceder ao voto antecipado.

Em conferência de imprensa conjunta com o secretário de estado adjunto e da saúde, António Lacerda Sales, e com a vice-presidente do Instituto da Segurança Social, Catarina Marcelino, o responsável adiantou que estas 534 inscrições se localizam em 109 concelhos portugueses.

«A inscrição começou hoje e neste momento temos 534 inscritos, que correspondem a 109 concelhos do país, sendo certo que 98% das inscrições são de eleitores do concelho onde estão recenseados», disse acrescentando: «Estas pessoas que estão confinadas por determinação da autoridade de saúde até ao dia 14, só podem votar se estiverem confinados no seu local de recenseamento ou num concelho limítrofe».

Lacerda Sales falou sobre as estratégias de saúde pública para o exercício do voto antecipado para os eleitores em confinamento, dizendo que devem realizar uma quarentena com 48 horas de antecedência e usar todos os equipamentos de proteção individual, para garantir a segurança do ato eleitoral.

«Prevê-se um conjunto de medidas como a proteção da equipa que faz a entrega e recolha» do voto. Importa ainda «não ter pessoas que pertençam a grupos de risco e organizadas em equipas espelho. Também os equipamentos de proteção individual, máscaras, viseis, luvas, devem ser usados.

Por sua vez, no que diz respeito aos idosos em lares, as regras e medidas de segurança «são semelhantes», podendo votar «nos mesmos moldes». Catarina Marcelino revela que o principal objetivo é «que as pessoas tenham várias opções, para poder votar em segurança». Assim, os idoso têm de se inscrever também na plataforma para fazer o pedido de voto antecipado, «não basta que a Segurança Social faça a recolha dos dados».

Ler Mais

Comentários
Loading...